Tamanho do texto

Etanol vale a pena quando custa até 70% da gasolina. Conta simples para abastecer pode transformar a viagem num passeio bem mais econômico

Festas de fim de ano chegando, viagem com a família devidamente programada e a visível percepção de que não há mais como economizar. Certo? Errado.

A conta sobre qual combustível usar vem compensando em dez estados.
Tomaz Silva/Agência Brasil
A conta sobre qual combustível usar vem compensando em dez estados.

Sim, há números importantes que podem causar uma sensação de conforto no bolso. E a saída pode estar no gasto com combustível. Melhor abastecer o carro com gasolina ou etanol? A resposta depende não apenas do preço do combustível no ponto de partida, mas, também, do percurso, da distancia que será percorrida.

E é para explicar esse cálculo tão importante e tão pouco observado, que estreamos nosso espaço “Dinheiro no Bolso”. Contas simples e rápidas  de serem feitas que podem fazer com que você, leitor, aprenda a economizar em gastos do dia a dia.

Entenda

Para saber com qual usar, basta dividir o preço do etanol pela gasolina. Se o resultado for inferior a R$ 0,7, vale a pena por etanol. A conta vem compensando em, pelo menos, dez estados. Mas se a conta der acima desse montante, gasolina é a melhor opção para rodar na cidade. Mas no caso de ir para as estradas, melhor é fazer a conta da quilometragem e verificar a autonomia do carro.

Gasolina ainda pode ser a melhor opção porque se anda mais do que com Etanol. Por exemplo, um carro popular que, em média, tem espaço para 54 litros, roda 572 km com um tanque de etanol e 826 km com gasolina. Ou seja, mais de 250 km de diferença a mais em quilometragem sem reabastecer.

É preciso calcular a distancia dessa viagem para ver se um tanque vai atender essa demanda. Em uma conta rápida para você que vai pegar a estrada, opte pela gasolina. Mas, para isso, saiba e entenda sobre seu carro: pesquise quanto suporta o tanque de abastecimento, e também leve em consideração detalhes como pneus cheios, numero de pessoas no carro, excesso do uso do ar condicionado, e por ai vai. Esses “detalhes” também podem fazer o gasto de combustível aumentar.

Claro que essa conta só vale a pena para os tipos de carros que há mais de 15 anos dominam o mercado, os equipados com motor flex – que aceitam gasolina ou etanol em qualquer proporção.

Leia Mais:

"Preço do combustível está na média global", diz futuro presidente da Petrobras

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas