Caixa já anunciou R$ 20 bilhões em crédito para pré-custeio da safra 21/22. Banco do Brasil espera emprestar R$ 120 bilhões para o setor este ano.
shutterstock
Caixa já anunciou R$ 20 bilhões em crédito para pré-custeio da safra 21/22. Banco do Brasil espera emprestar R$ 120 bilhões para o setor este ano.

O Banco do Brasil vai antecipar R$ 16 bilhões para custeio das atividades agrícolas na Safra 20/21 . O anúncio foi feito, em live, pelo presidente do banco, André Brandão, com a participação da ministra da agricultura, Tereza Cristina.

O crédito poderá ser utilizado para o custeio antecipado na compra de insumos, tratos da lavoura, mudas e sementes, ração e medicamentos. O produtor aproveita melhores condições de preço e mercado quando antecipa suas compras.

 O pré-custeio está disponíveis para lavouras de soja, milho verão, algodão, arroz, cana de açúcar e café, com taxas de juros de 5% ao ano para médios produtores e 6% ao ano para os demais produtores.

Segundo Brandão, a expectativa do banco é alcançar R$ 120 bilhões na carteira de crédito do agro este ano. O presidente também anunciou que o banco não irá mais cobrar tarifa de análise de crédito nas operações de renovação. A medida já está valendo e deve representar uma redução importante no custo da operação.

A ministra Tereza Cristiana aproveitou o anúncio para incentivar o surgimento de novas linhas de crédito na iniciativa privada. “O crédito rural precisa de mais parceiros, mais gente acreditando no nosso negócio. Precisamos de mais créditos novos e diferentes. O pré-custeio é importante para que o produtor antecipe suas compras, melhorando seu planejamento e reduzindo custos”, explicou.

CEF: banco chega a R$ 20 bilhões em crédito de pré-custeio

Quem também anunciou medidas importantes foi a Caixa , com a liberação de mais R$ 12 bilhões em recursos para custeio antecipado. O banco já havia emprestado R$ 8 bilhões desde dezembro de 2020.

Você viu?

Segundo o presidente do banco, Pedro Guimarães, a expectativa é ter 100% destes recursos emprestado até final de março ou começo de abril. “Queremos financiar todos os segmentos, mas em dúvida o pequeno agricultor, do Pronaf, é fundamental”, afirmou.

A ministra Tereza Cristina comemorou o fato de a Caixa estar entrando cada vez mais no setor agropecuário. “É mais um banco com agilidade e capilaridade para emprestar para os agricultores e pecuaristas. O setor está trabalhando cada vez mais, mas o ponto crucial para continuar crescendo é o crédito, especialmente para os pequenos produtores”.

As taxas para os produtores do Pronaf são de 2,75% ao ano, para os do Pronamp são de 4% ao ano e demais produtores de 5% ao ano. 

Guimarães disse que a carteira de crédito da Caixa para o agro já aumentou quatro vezes desde o início do governo, e o objetivo é chegar a R$ 40 bilhões ao final de 2022, o que representará um aumento de dez vezes a carteira da Caixa no setor agropecuário no início da gestão.

O banco também anunciou que abrirá 21 unidades especializadas no atendimento ao agronegócio, com estrutura e equipe dedicadas ao atendimento exclusivo dos produtores rurais.

Pedro Guimarães destacou também que a Carreta do Agro irá percorrer 20 cidades no primeiro semestre de 2021. A carreta é um evento itinerante em que um caminhão-agência especializado no agronegócio visita cidades estratégicas, ou eventos e feiras, para realizar reuniões técnicas, atendimento a clientes e assinatura de contratos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários