Em janeiro o Mato Grosso abateu 367,21 mil cabeças de bovinos, sendo 225,05 mil machos e 142,15 mil fêmeas.
Macos Santos/USP Online
Em janeiro o Mato Grosso abateu 367,21 mil cabeças de bovinos, sendo 225,05 mil machos e 142,15 mil fêmeas.

Boletim do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA) publicado ontem (17/02) aponta que o abate bovino no estado segue tendência de "menos boi e mais vacas", com base em dados do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado (Indea-MT).

Em janeiro o Mato Grosso abateu 367,21 mil cabeças de bovinos, dos quais 225,05 mil foram de machos, apresentando decréscimo de 15,57% no comparativo com o mês anterior. Já o volume de fêmeas foi de 142,15 mil cabeças, acréscimo de 8,12% no mesmo comparativo. O volume total de abates foi 7,7% menor em janeiro deste ano com relação a dezembro do ano passado.

Segundo o Instituto, um dos principais motivos que influenciaram neste cenário foi a escassez de machos em oferta, que levou os produtores a aumentarem o abate de fêmeas para atender a demanda interna e aproveitar a alta no valor da arroba.

Apenas a região nordeste do estado apresentou leve acréscimo no número de bovinos abatidos (+0,61%) no comparativo com dezembro do ano passado. As demais regiões apresentaram decréscimo no volume de abate no mesmo comparativo: Sudeste (-20,66%), Oeste (-12,40%) e Centro-Sul (-7,25%).

Com o cenário atual de acréscimo no abate de fêmeas é esperado que a retenção de matrizes seja maior no curto prazo, o que deve restringir ainda mais a oferta de animais para abate.

Preços se mantém em alta

Nesta semana, o mercado da bovinocultura de corte apresentou variação positiva de 1,67% para o boi gordo e de 1,47% para a vaca gorda, ante a semana passada. Nesse sentido, foram cotados a R$ 284,53/@ e R$ 273,48/@, respectivamente. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários