Quatro dicas da Serasa para se proteger contra golpes do Pix
Redação 1Bilhão Educação Financeira
Quatro dicas da Serasa para se proteger contra golpes do Pix

A série “Sempre Alerta”, publicada pelo blog da Serasa Premium, traz no capítulo desta semana dicas para o consumidor não cair em golpes do Pix . No site da Serasa, o usuário tem acesso gratuito aos conteúdos em textos e vídeos especialmente criados para ajudar na proteção dos dados pessoais.

A alta adesão ao Pix que, segundo o Banco Central, já tem mais de 253 milhões de chaves cadastradas e supera 2 bilhões de transações, tem atraído a sanha dos contraventores. No tópico golpes do pix a Serasa explica como a recente modalidade digital de transferência bancária gratuita, ágil, acessível e popular se tornou um meio para tentativas de fraudes.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

Especialistas da Serasa orientam os usuários a identificarem as fraudes mais frequentes e explicam os principais mecanismos utilizados pelos criminosos para atrair suas vítimas.  

Quatro dicas sobre os principais golpes do Pix e como evitá-los

1 - WhatsApp clonado: o estelionatário se passa por uma empresa e pede que o usuário digite um código. O objetivo é clonar o número e pedir dinheiro para parentes e amigos da vítima.

Como evitar: habilite a autenticação de duas etapas na sua conta do WhatsApp para que o criminoso não consiga mudar o cadastro, e não forneça nenhum código solicitado.

2 - Atendente bancário falso: o golpista se passa por atendente do banco e induz a vítima a criar uma chave Pix e a transferir dinheiro para outra conta.

Como evitar: nunca forneça seus dados ou faça operações bancárias por meio de ligações telefônicas.

3 - Bug do Pix: fake news nas redes sociais anunciam uma “falha” no Pix, pela qual as pessoas receberiam prêmio em dinheiro quando transferissem valores para determinadas chaves. É claro que o dinheiro vai direto para a conta do criminoso. 

Como evitar: fique alerta para notícias de dinheiro fácil, confirme a veracidade da informação e do perfil procurando por selos de verificação nas redes sociais oficiais, saiba que o sistema Pix, criado pelo Banco Central, é seguro, sem bugs e tem os mesmos protocolos de segurança do TED e do DOC. 

4 - QR Code falso: golpistas falsificam QR Code para transferências por Pix em lives e apresentações online que arrecadam dinheiro para artistas ou instituições. 

Como evitar: ao fazer doações, transferências e pagamentos por Pix utilizando QR Code fique atento à origem do código e, se desconfiar dos valores ou da solicitação, não faça a operação.

Outras dicas para não cair em golpes com o Pix

Antes de transferir qualquer valor verifique a identidade de quem está solicitando o Pix;

Preste bastante atenção antes de clicar para confirmar uma operação e confira todos os dados; 

Não clique em links recebidos por e-mail, mensagens de SMS, WhatsApp e redes sociais que direcionam a cadastros de chaves Pix;

Cadastre suas chaves Pix no canal oficial do seu banco ou fintech e saiba que a confirmação da criação da chave Pix nunca vem por ligação ou link. Após o cadastro, o Banco Central envia o código apenas por SMS ou e-mail;

Não faça transferências para pessoas conhecidas sem antes confirmar por chamada telefônica ou pessoalmente.

Confira as dicas no  video .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários