Setor industrial cresce pelo pelo 4º mês seguido
Redação 1Bilhão
Setor industrial cresce pelo pelo 4º mês seguido

produção industrial brasileira cresceu 0,3% na passagem de abril para maio. É o quarto resultado positivo consecutivo, levando o setor a acumular alta de 1,8% desde fevereiro. O saldo em 2022, contudo, ainda é negativo, e a atividade está 1,1% abaixo do patamar pré-pandemia. Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal (PMI), do IBGE, divulgados nesta terça-feira (5).

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

Três das quatro categorias pesquisadas registraram avanço na produção em maio. Bens de capital e bens de consumo duráveis avançaram 7,4% e 3%, respectivamente, com ambas as atividades voltando a crescer após forte recuo em abril. O setor de bens de consumo semi e não duráveis cresceu 0,8%, mas com ritmo abaixo do verificado no mês anterior (2,3%). Por outro lado, o segmento de bens intermediários recuou 1,3%.

Máquinas e equipamentos (7,5%) e veículos automotores, reboques e carrocerias (3,7%) foram as atividades que exerceram maior contribuição positiva no mês, após recuarem no mês anterior.

Outras contribuições sobre o total da indústria vieram de produtos alimentícios (1,3%), artigos para viagem e calçados (9,4%), máquinas, aparelhos e materiais elétricos (5,5%), outros equipamentos de transporte (10,3%), manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos (7,5%) e de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (3,6%). Por outro lado, tiveram redução na produção, indústrias extrativas (-5,6%) e outros produtos químicos (-8,0%)

Setor dribla inflação e falta de insumos

Segundo o IBGE, a recente melhora no desempenho industrial pode estar relacionada à recuperação do mercado de trabalho e às medidas fiscais implementadas pelo governo, como a liberação de recursos do FGTS e antecipação do 13º para aposentados e pensionistas, o que impulsiona a demanda por bens.

Por outro lado, a indústria ainda lida com variáveis que limitam a recuperação das perdas do passado, como a inflação alta que corrói a renda das famílias, a taxa de juros elevada que encarece o crédito e o mercado de trabalho que ainda permanece com baixo rendimento.

"O setor industrial ainda tem um espaço grande a ser recuperado frente a patamares mais elevados da série histórica. Ainda permanecem a restrição de acesso das empresas a insumos e componentes para a produção do bem final e o encarecimento dos custos de produção. Várias plantas industriais prosseguem realizando paralisações, reduções de jornadas de trabalho e concedendo férias coletivas, com a indústria automobilística exemplificando bem essa situação nos últimos meses", diz André Macedo, gerente da pesquisa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários