Conta de luz: distribuidoras fazem programas de renegociação e desconto para regularizar a fatura
Fernanda Capelli
Conta de luz: distribuidoras fazem programas de renegociação e desconto para regularizar a fatura

As distribuidoras de energia apostam na renegociação de dívida com opção de parcelamento. Para especialistas, é alternativa que beneficia o consumidor e a empresa. Para o cliente, é a chance de arrumar as contas , com desconto de até 90% da dívida. Para a concessionária, há redução de inadimplência e aumento da arrecadação.

"Para a companhia, vale a pena porque isso permite que ela siga seu planejamento, invista em melhorias na rede e no atendimento ao consumidor", diz Mauro Calil, fundador da Academia do Dinheiro.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

A Equatorial distribui energia aos estados do Maranhão, Pará, Piauí, Alagoas, Amapá, entre outros, com dez milhões de clientes e mantém programas permanentes de renegociação de dívidas em canais digitais e nas agências. A partir de três contas em atraso, o cliente pode se beneficiar do programa. 

"Também criamos a negociação delivery, em que um agente vai até a casa da pessoa. Em 15 minutos, pode acertar o débito via Pix. Oferecemos parcelamento em até 24 meses", conta Jean Gama, gerente de Cobranças e Cadastro do grupo Equatorial, lembrando que o grupo está lançando a assistente virtual Clara, para renegociações por WhatsApp.

Desde 2021, a Light, que atende o Rio, oferece negociação com desconto e parcelamento no cartão de crédito. Mais de 40 mil clientes, com ao menos uma fatura vencida há mais de seis meses, se beneficiaram do último programa, em outubro de 2021, com desconto de até 90%. 

Há um programa permanente de renegociação para quem tem duas faturas vencidas. A negociação ocorre através da assistente virtual Lia, pelo WhatsApp ou nas agências físicas. O parcelamento chega a 24 vezes no cartão de crédito ou 12 vezes na conta de luz, com entrada de 40% do saldo devido. A empresa tem parceria com o Procon para feirões de negociação.

"Entendemos o momento delicado que o país passa e queremos facilitar o pagamento para que o consumidor não fique sem o serviço. É uma forma de evitar que ele passe para a irregularidade através dos “gatos”", diz Thiago Guth, diretor comercial e de operações da Light, citando que o valor médio da dívida é de R$ 300. 

Na EDP, 54.729 clientes negociaram dívidas por meio dos feirões no ano passado e, este ano, até o momento, foram 57.195 acordos. Os feirões acontecem nas distribuidoras do grupo, que atendem 28 municípios de São Paulo e 70 do Espírito Santo. Em alguns casos, há possibilidade de parcelamento em até 36 vezes.

"É oferecida redução na entrada e condições especiais mesmo para quem já possui débito de negociações anteriores", diz Evandro Scopel, diretor de Planejamento e Engenharia da Distribuição da EDP, citando que a digitalização dos pagamentos, através de canais digitais ajudou. 

A Enel Brasil realizou, entre janeiro de 2020 e maio deste ano, 4,2 milhões de negociações. Ela tem feito campanhas para clientes em Rio, São Paulo, Goiás e Ceará, a fim de facilitar o pagamento de contas em atraso.

Em São Paulo, o programa se chama Enel Facilita e terá mais três datas de renegociação em julho. Para contas em atraso acima de 61 dias, o consumidor poderá parcelar a fatura em até 12 vezes, com juros de 1% ao mês.

"Os cadastrados com o benefício da Tarifa Social têm a opção de parcelar a fatura em até 36 vezes, com pagamento de 10% de entrada, sem encargos e juros", diz André Oswaldo do Santos, diretor de Mercado da Enel Distribuição São Paulo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários