Papéis da Petrobras caem na Bolsa de Valores nesta sexta-feira
Ivonete Dainese
Papéis da Petrobras caem na Bolsa de Valores nesta sexta-feira

O mercado doméstico volta do feriado de Corpus Christi e se ajusta ao viés negativo para ativos de risco do exterior no pregão de ontem. A bolsa brasileira acentuou a queda após a Petrobras anunciar novo reajuste nos combustíveis nesta sexta-feira (17). Às 13h37, o Ibovespa cedia 3,89%, aos 98.969 pontos.

Os papeis da Petrobras ON (PETR3) e Petrobras PN (PETR4) caíam 8,80% e 8,89%, respectivamente, às 13h37. Hoje a estatal anunciou novo reajuste nos preços dos combustíveis. A partir de amanhã, a gasolina vai subir nas refinarias de R$ 3,86 para R$ 4,06 por litro, um aumento de 5,18%. Com o diesel, o preço por litro terá alta de R$ 4,91 para R$ 5,61, o que equivale a um reajuste 14,25%.

O governo quer a renúncia do presidente da empresa. Além disso, cresce a pressão de entidades pelo fim do PPI (Preço em Paridade Internacional), o que afasta o investidor no Brasil e no exterior.

Entre no canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

Já o dólar se ajusta em alta contra o real e a curva de juros ganha inclinação, na medida em que os temores de recessão devido ao aperto monetário nas economias avançadas pressionaram os mercados emergentes. Por volta de 13h45, a moeda americana era negociada a R$5,139, alta de 2,23% no mercado à vista.

Aversão a risco

Em relatório diário sobre o que esperar do movimento dos mercados, os profissionais do Banco do Brasil notam que, após o Federal Reserve (Fed) elevar os juros em 0,75 ponto percentual na quarta-feira, o Banco Central Europeu (BCE) preparar os mercados para aumentos de juros e os bancos centrais da Inglaterra e da Suíça efetivamente aumentarem as taxas ontem, “cresce o temor de que a postura agressiva dos bancos centrais para conter a inflação tenha efeitos recessivos”. 

Diante desse contexto, o “mood” de aversão a risco predominou nos negócios ontem, o que pressiona os ativos brasileiros no pregão desta sexta. Cabe apontar que a curva de juros tem um dia de “bull steepening”, ao ganhar inclinação após a decisão do Copom. Enquanto as taxas curtas operam em queda mais acentuada, as longas rondam os ajustes do dia anterior.

Wall Street abre dispersa em meio a indicadores fracos

A Bolsa de Nova York abriu com oscilações entre alta e baixa nesta sexta-feira, privada de uma recuperação devido a vários indicadores que confirmam a desaceleração da economia dos EUA.

No início do pregão, o Dow caiu 0,09%, o índice Nasdaq, dominado por tecnologia, subiu 0,68% e o índice S&P 500, mais amplo, subiu 0,27%. 

Dados divulgados nesta sexta-feira pelo Federal Reserve (Fed, banco central americano), mostram que o ritmo da produção industrial nos Estados Unidos desacelerou em maio mais do que o esperado ao subir 0,2% em relação a abril. Analistas esperavam um aumento de 0,5%.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários