Osteoartrite faz papa andar de cadeira de rodas
Vatican news
Osteoartrite faz papa andar de cadeira de rodas

 O papa Francisco afirmou nesta terça-feira (14) que o trabalho sem horário e salário justos é "escravidão".

Em mensagem pela Jornada Mundial dos Pobres, o líder da Igreja Católica disse que quando a "única lei passa a ser o cálculo do lucro no fim do dia, então deixa de haver qualquer freio na adoção da lógica da exploração das pessoas".

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

"Os outros não passam de meios. Deixa de haver salário justo, horário justo de trabalho e criam-se novas formas de escravidão, suportada por pessoas que, sem alternativa, devem aceitar este veneno de injustiça a fim de ganhar o mínimo para comer", escreveu o pontífice.

Em seguida, o Papa ressaltou que a "pobreza que mata é a miséria, filha da injustiça, da exploração, da violência e da iníqua distribuição dos recursos". "É a pobreza desesperada, sem futuro, porque é imposta pela cultura do descarte que não oferece perspectivas nem vias de saída", disse.

Francisco também afirmou que "o problema não está no dinheiro em si", pois é algo que "faz parte da vida diária das pessoas e das relações sociais".

"Devemos refletir, sim, sobre o valor que o dinheiro tem para nós: não pode tornar-se um absoluto, como se fosse o objetivo principal. Um tal apego impede de ver, com realismo, a vida de todos os dias e ofusca o olhar, impedindo de reconhecer as necessidades dos outros. Nada de mais nocivo poderia acontecer a um cristão e a uma comunidade do que ser ofuscados pelo ídolo da riqueza, que acaba por acorrentar a uma visão efémera e falhada da vida", salientou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários