Paulo Guedes, ministro da Economia, seguiu Bolsonaro e admitiu que não haverá reajuste para servidores
Reprodução: Flickr - 11/05/2022
Paulo Guedes, ministro da Economia, seguiu Bolsonaro e admitiu que não haverá reajuste para servidores

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o governo federal não conseguiu dar reajuste aos servidores, mas, em contrapartida, reduziu impostos para todos os brasileiros. Ele fez a afirmação ao criticar governadores, a quem acusou de estarem com os cofres cheios e de não quererem colaborar com o Brasil.

"O governo federal não conseguiu dar o aumento de salários para o funcionalismo, mas reduziu os impostos para 200 milhões de brasileiros", afirmou o ministro durante evento promovido pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras).

Ele fez um paralelo com a situação dos estados: disse que estão com R$ 180 bilhões em caixa, fruto de um aumento de arrecadação “brutal”, e que precisam ajudar a população, em vez de ajudar apenas aos próprios servidores. Enquanto o governo federal sofre com a pressão de diversas categorias que pedem por recomposição salarial, vários governadores concederam reajustes nesse ano eleitoral.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

No funcionalismo federal, o presidente Jair Bolsonaro havia prometido, ainda em 2021, aumento para três categorias (policiais federais, policiais rodoviários federais e agentes do departamento penitenciário), o que desagradou os demais servidores. Algumas categorias, como os funcionários do Banco Central e INSS, estão em greve.

O governo chegou a estudar a possibilidade de um reajuste linear de 5% para todas as categorias ou um incremento no vale-alimentação, mas o presidente Bolsonaro praticamente descartou essas possibilidades. Guedes engrossou esse discurso nesta quinta-feira (9).

"O funcionalismo federal está contribuindo extraordinariamente com o Brasil. Eles estão entendendo que logo ali à frente vai ter aumento para todo mundo. Nós vamos fazer a reforma administrativa, nós vamos fazer a reclassificação de cargos que eles querem. A reforma administrativa tá pronta com melhorias para todos eles, mas agora estamos em guerra, ainda, então o presidente está fazendo esse sacrifício para o governo federal para baixar os impostos e repassar esse recursos para 200 milhões de brasileiros", disse.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários