Servidores do Banco Central se reúnem para debater continuidade da greve
Redação 1Bilhão
Servidores do Banco Central se reúnem para debater continuidade da greve

Os servidores do Banco Central se reúnem em assembleia virtual nesta terça-feira (31), às 9 horas (de Brasília), para debater a continuidade da greve, que ocorre por tempo indeterminado. Segundo o presidente do Sindicato Nacional dos Funcionários do BC (Sinal), Fábio Faiad, o indicativo é de manutenção do movimento, uma vez que não houve avanços na negociação com o governo sobre as pautas da categoria.

Os servidores do BC pedem 27% de reajuste, além de medidas de reestruturação de carreira. A greve foi iniciada no dia 1 de abril, com uma trégua entre 20 de abril e 2 de maio. A tendência é o governo optar pelo reajuste linear de 5% para todo o funcionalismo.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Estão suspensas as divulgações regulares do BC, como o Boletim Focus, os dados do fluxo cambial e as estatísticas de crédito e do setor externo.

A Nota Fiscal foi incluída como atividade essencial, pois a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) determina que o governo tem de enviar, até o fim de maio, documento sobre o cumprimento das metas fiscais do primeiro quadrimestre. A edição de abril será divulgada nesta terça-feira, às 9h30.

Há também atrasos por conta da greve no BC na divulgação da taxa Ptax diária, o que deixa o mercado financeiro em constante atenção. Já o Pix e o Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB) estão em operação.

Como mostrou o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) no dia 12 de maio, o BC recuou de uma proposta de minuta de Medida Provisória enviada ao Ministério da Economia para reestruturar as carreiras dos servidores do órgão.

O texto previa um reajuste salarial de 22% para analistas e técnicos da autoridade monetária, com pagamento a partir de junho de 2022, enquanto o governo quer conceder um aumento linear de 5% para todas as categorias do funcionalismo federal.

Após a divulgação da minuta, o BC alegou haver "inconsistências" na proposta, que foi retirada do Sistema de Geração e Tramitação de Documentos Oficiais do Governo Federal (Sidof).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários