Wallace Landim, Chorão, líder caminhoneiro
Reprodução/Facebook
Wallace Landim, Chorão, líder caminhoneiro

Wallace Landim, o Chorão , divulgou uma nota nesta quarta-feira (11) criticando a possível privatização da Petrobras e PPSA, responsável pelo Pré-sal . Landim é presidente da Abrava (Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores) e um dos líderes da greve dos caminhoneiros de 2018.

O caminhoneiro diz que a categoria recebe com "surpresa e indignação" a informação da inclusão das estatais no PND (Plano nacional de Desestatização). 

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia 

"O Brasil precisa de uma estratégia de curto prazo para frear essa voracidade
da Petrobras em saquear o bolso dos brasileiros, e não vender a PPSA e a
Petrobrás. A PPSA é uma estatal puro sangue Brasileira, estratégica, é ali que estão todas as reservas de petróleo e o direito de extração, nós caminhoneiros e brasileiros não vamos aceitar calados a sua venda", diz a nota. 

"O problema que precisa ser enfrentado agora é a politica de preços da
Petrobras. O povo não aguenta mais nenhum aumento de gasolina, gás de
cozinha e as consequências dos aumentos sequenciais do óleo diesel", completa.

A ideia foi levantada pelo novo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, que, em seu primeiro pronunciamento no cargo disse que vai priorizar a privatização da Eletrobras e da Petrobras. Ele também citou como exemplos de projetos de seu interesse que estão em tramitação no Congresso os que tratam da modernização do setor elétrico e o da mudança do regime de partilha para concessão no pré-sal.

"Precisamos dar prosseguimento ao processo de capitalização da Eletrobras. É fundamental avançarmos no projeto, sinal importante para atrair mais capital ao Brasil e mostrar que o Brasil é o porto seguro do investimentos", afirmou Sachsida.

"Meu primeiro ato como ministro de Minas e Energia é solicitar ao ministro Paulo Guedes, presidente do conselho do PPI, que leve ao conselho a inclusão da PPSA no PND para avaliar as alternativas para a sua desestatização. Ainda como parte do meu primeiro ato, solicito também o início dos estudos tendentes a proposição das alterações legislativas necessárias a desestatização da Petrobras", adicionou o novo ministro.

Sachsida disse que todos os seus projetos têm aval do presidente Jair Bolsonaro.

"Deixo claro que essa meta, esse objetivo e esse norte foram expressamente apoiados pelo presidente Bolsonaro. Tudo o que estou falando tem 100% de aval do presidente da República."

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários