Saque emergencial do FGTS: veja o que fazer para render os mil reais
Reprodução: iG Minas Gerais
Saque emergencial do FGTS: veja o que fazer para render os mil reais

Começa nesta quarta-feira (20) a nova rodada de  saques extraordinários do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) autorizada pelo governo. Dessa vez, os trabalhadores poderão sacar até R$ 1 mil.

Em meio às dificuldades econômicas atuais, com a inflação corroendo a renda, muita gente vai aproveitar o dinheiro extra para pagar dívidas ganhar algum fôlego financeiro.  

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia 

Quem está com as contas em dia, pode aproveitar para formar uma reserva de emergência, importante para qualquer um, ainda mais num cenário econômico tão incerto.

Outra alternativa é investir para multiplicar os recursos com rendimentos melhores que os oferecidos pelo FGTS.

 Confira um guia para usar o dinheiro a ser sacado

Quitar dívidas

Num cenário de juros altos, nada melhor do que se livrar de dívidas, principalmente as em atraso. A reboque da taxa básica de juros, o custo financeiro do rotativo de cartão de crédito, que sempre foi muito alto, está aumentando.

No ano passado, segundo o Banco Central, o juro médio do cartão subiu 21,8% ao longo de 2021, passando de 329% ao ano em janeiro para 349,6% ao ano em dezembro — a maior desde agosto de 2017. Já os juros do cheque especial começaram o ano em mais de 120% ao ano. 

De acordo com cálculos de Antônio Sanches, da Rico, sob essas condições, uma dívida de R$ 1.000 pode virar R$ 2.280 em apenas 12 meses. Ao fim de três anos, o valor no vermelho se transformaria em R$ 11.852,35.

O economista Filipe Pires, diretor de Pós-graduação da UniAnchieta, diz que cartão e cheque especial devem ser prioridades para quem está inadimplente, para que não se tornem impagáveis. A dica é amortizar, ainda que parcialmente, a dívida com juros mais altos. 

Gustavo Moreira, coordenador do MBA de finanças do Ibmec RJ, diz que, se os R$ 1 mil não forem suficientes para zerar as dívidas, pode ser o ponto de partida de uma renegociação com o banco ou uma loja:

Leia Também

"Na maioria dos casos, o custo da dívida, ou seja, a taxa de juros do financiamento, é maior que o retorno que o dinheiro terá (num investimento, por exemplo). Portanto, é mais adequado utilizar o saque para quitar o saldo devedor, ainda que parcialmente."

Fazer investimentos

Com a taxa básica de juros em alta, especialistas dizem que o saque do FGTS é uma boa oportunidade para investir em renda fixa. Há opções que rendem mais que o triplo do rendimento do FGTS, que é de cerca de 3% ao ano.

"Existem diversas opções de investimento com liquidez, que a pessoa pode resgatar rapidamente em um momento de estresse, com rentabilidade muito maior. É o caso do Tesouro Selic que rende hoje em torno de 11,75% ao ano e permite o resgate em um dia útil, sendo ideal para emergências", sugere o economista Antônio Sanches. 

Segundo cálculos dele, enquanto R$ 1.000 aplicados no FGTS, com taxa de 3% ao ano, tornam-se R$ 1.092,73 em três anos, o mesmo valor no Tesouro Selic, investido pelo mesmo período, resulta em R$ 1.395,54.

A economista da 3A Investimentos, Débora Expósito, acrescenta que há muitas opções de Certificados de Depósito Bancário (CDBs) que remuneram o equivalente a 100% do CDI, aproximadamente 11,65% ao ano. É uma aplicação que também permite saque imediato sem perda.

"A taxa Selic, em 11,75% ao ano, pode chegar a 13% ao final deste ano. Então, são muitas as opções de investimentos que possuem uma rentabilidade superior à do FGTS. O investidor pode buscar ativos com perfil conservador, desde títulos públicos federais a emissões bancárias."

Montar reserva de emergência

O planejador financeiro Marlon Glaciano avalia que o saque do FGTS é uma boa chance de iniciar a composição de uma reserva de emergência, algo que todo trabalhador deve ter para o caso de algum imprevisto ou até mesmo desemprego, ainda mais em tempos de crise.

Especialistas em finanças pessoas geralmente recomendam ter em algum investimento fácil de sacar o equivalente a cinco ou seis vezes o valor das despesas mensais da pessoa ou família. 

"Busque produtos que remunerem ao menos 100% do CDI. Você pode considerar algum LCI (Letra de Crédito Imobiliário) ou LCA (Letra de Crédito do Agronegócio), já que os mesmos são isentos de Imposto de Renda", aconselha Glaciano.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários