Melinda Gates entra no ranking
Reprodução/Facebook
Melinda Gates entra no ranking

Entre os 2.668 bilionários da lista da Forbes deste ano, há poucas mulheres: apenas 327, uma a menos do que no ranking do ano passado. Apesar do número menor, elas estão valendo mais.

Ao todo, incluindo aquelas que compartilham sua fortuna com seu cônjuge, filho ou irmão, elas somam US$ 1,56 trilhão, contra US$ 1,53 trilhão de 2021.

Entre os homens, o dono da Tesla e da Space X, Elon Musk , encabeça a lista.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia 

A maioria das bilionárias do planeta — 226 na verdade — herdou o patrimônio, mas souberam manter e multiplicar a fortuna. É o caso das três mulheres mais ricas do mundo: as herdeiras da L'Oréal, Françoise Bettencourt Meyers, e do Walmart, Alice Walton, e Julia Koch, que herdou uma participação nas Indústrias Koch quando seu marido, David Koch, morreu, em 2019.

Os Estados Unidos têm o maior número de mulheres bilionárias do mundo, com 90, seguido pela China (63, incluindo 11 de Hong Kong) e Alemanha (35), segundo a Forbes.

Entre as mais ricas deste ano há outra bilionária que enriqueceu por razões familiares: a tcheca Renata Kellnerova e seus quatro filhos herdaram cerca de US$ 16,6 bilhões depois que seu marido, Petr Kellner, morreu em um acidente de helicóptero, em março de 2021.

Entre as novatas da lista de 2022 estão a pop star Rihanna (com US$ 1,7 bilhões), cujo império de beleza a torna a primeira pessoa a se tornar bilionária de Barbados; Melanie Perkins, cofundadora da startup de design Canva; e Melinda French Gates, que está sendo listada como bilionária por direito próprio após seu divórcio de Bill Gates, fundador da Microsoft, em meados de 2021.

Na atual lista da Forbes, 101 mulheres são consideradas self-made women. Ou seja: fundaram ou cofundaram uma empresa ou construíram sua própria fortuna, em vez de herdá-la.

Entre elas estão a empreendedora de fornecimento de telhados Diane Hendricks; a cofundadora da Gap, Doris Fisher; e Denise Coates, fundadora e CEO da Bet365, uma das maiores empresas de apostas on-line do mundo.

Conheça as 10 mulheres mais ricas do mundo
1. Françoise Bettencourt Meyers

  • Patrimônio líquido: US$ 74,8 bilhões
  • Fonte da riqueza: L'Oréal
  • País: França

Bettencourt Meyers é a mulher mais rica do planeta pelo segundo ano consecutivo. Ela é neta do fundador da gigante da beleza L'Oréal e apareceu pela primeira vez na lista de bilionários do mundo em 2018, após a morte de sua mãe, Liliane Bettencourt, então a mulher mais rica do mundo.

Leia Também

2. Alice Walton

  • Patrimônio líquido: US$ 65,3 bilhões
  • Fonte da riqueza: Walmart
  • País: EUA

Filha do fundador do Walmart, Sam Walton, a fortuna de Alice Walton aumentou cerca de US$ 3,5 bilhões no ano passado, graças ao aumento das ações do Walmart. Ela era a mulher mais rica do mundo em 2020, mas perdeu seu lugar para Bettencourt Meyers.

3. Julia Koch

  • Patrimônio líquido: US$ 60 bilhões
  • Fonte da riqueza: Koch Industries
  • País: EUA

Julia Koch, a viúva do filantropo David Koch, e seus filhos possuem uma participação de 42% na Koch Industries, a segunda maior empresa privada dos EUA. O irmão mais velho de David, Charles Koch, é presidente do grupo e também possui uma participação de 42% .

4. MacKenzie Scott

  • Patrimônio líquido: US$ 43,6 bilhões
  • Fonte da riqueza: Amazônia
  • País: EUA

Desde que se divorciou do fundador da Amazon, Jeff Bezos, em 2019,  MacKenzie se tornou um dos grandes filantropos mais prolíficos da história. Ela doou US$ 12,5 bilhões para mais de 1.250 organizações em menos de dois anos.

5. Jaqueline Mars

  • Patrimônio líquido: US$ 31,7 bilhões
  • Fonte de riqueza: Doces, comida para animais de estimação
  • País: EUA

A Jacquline herdou cerca de um terço da Mars Incorporated, o conglomerado de doces e alimentos para animais de estimação por trás dos M&M's e de marcas como IAMS e Pedigree. A empresa foi fundada por seu avô, Frank C. Mars, em 1911.

6. Gina Rinehart

  • Patrimônio líquido: US$ 30,2 bilhões
  • Fonte da riqueza: Mineração
  • País: Austrália

Gina Rinehart preside a empresa australiana de mineração e agricultura Hancock Prospecting Group, fundada por seu pai Lang Hancock (falecido em 1992). Durante anos, ela esteve envolvida em uma batalha judicial contra seus filhos adultos por causa de um fundo familiar, que continuará até pelo menos o próximo ano. Isso porque um juiz supostamente adiou a próxima audiência do tribunal para 2023.

7. Miriam Adelson

  • Patrimônio líquido: US$ 27,5 bilhões
  • Fonte da riqueza: Cassinos
  • País: EUA

Viúva do magnata dos cassinos Sheldon Adelson, Miriam agora possui quase 50% de participação de seu falecido marido no Las Vegas Sands, após sua morte no início de 2021. Dois meses após a morte de Adelson, a empresa concordou em vender seus ativos em Las Vegas , incluindo o Venetian Resort e o Sands Expo and Convention Center, por US$ 6,25 bilhões, em um esforço para se concentrar no mercado asiático.

8. Susanne Klatten

  • Patrimônio líquido: US$ 24,3 bilhões
  • Fonte da fortuna: BMW, farmacêutica
  • País: Alemanha

Susanne Klatten possui cerca de 19% da montadora alemã BMW, que ela herdou de sua mãe Johanna Quandt e de seu pai Herbert Quandt, o industrial que é famoso por resgatar a BMW da falência em 1959. Klatten também possui a empresa química Altana.

9. Iris Fontbona

  • Patrimônio líquido: US$ 22,8 bilhões
  • Fonte da riqueza: Mineração
  • País: Chile

Iris é viúva do magnata chileno Andrónico Luksic, que morreu de câncer em 2005, depois de construir uma fortuna em mineração e bebidas. Ela e sua família possuem minas de cobre no Chile por meio da Antofagasta Plc, que é negociada na Bolsa de Valores de Londres. Eles também possuem uma participação majoritária na Quiñenco, um conglomerado chileno de capital aberto que faz negócios em bancos, cerveja e manufatura.

10. Abigail Johnson

  • Patrimônio líquido: US$ 21,2 bilhões
  • Fonte da riqueza: gestão do dinheiro
  • País: EUA

Abigail Johnson é CEO da Fidelity Investments desde 2014, depois de assumir o lugar de seu pai Ned Johnson III, que morreu em março. Ela possui uma participação estimada de 24,5% na empresa, que possui US$ 4,2 trilhões em ativos administrados e foi fundada por seu avô em 1946.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários