JBS
Fernanda Capelli
JBS

A J&F, empresa de participações detentora do controle da JBS, maior produtor de carne do mundo, fechou acordo para comprar os ativos detidos pela Vale no Mato Grosso do Sul em uma transação de cerca de US$ 1,2 bilhão. Com o negócio, o grupo da família dos irmãos Joesley e Wesley Batista põe os dois pés no setor de mineração.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia 

A holding controla ainda a produtora de celulose Eldorado, o Banco Original, a instituiçao de pagamentos PicPay e a Flora, detentora das marcas de limpeza Minuano e Assim.

"A entrada da J&F em ativos de mineração era uma meta e, a partir de agora, a busca é por novos ativos no setor. Para a Vale a notícia é neutra, já que o valor não é representativo e sua saída já estava considerada no seu programa de investimentos", escreveu o analista Pedro Galdi, da Mirae Asset, em relatório distribuído a clientes.

A J&F não se manifestou a respeito da negociação ou dos próximos passos no setor. Em Fato Relevante divulgado ao mercado, a Vale informou que, concluída a operação, terá se desvencilhado dos ativos compreendidos no seu Sistema Centro-Oeste, que incluem a produção de minério de ferro, principal matéria-prima para a produção de aço, minério de manganês, empregado na composição de liga metálica que serve de insumo para a indústria, e ainda de logística, usada no escoamento dessa produção.

Esse conjunto, conforme a mineradora, contribuiu com uma geração de caixa de US$ 110 milhões em 2021. No fechamento da transação a Vale receberá cerca de US$ 150 milhões, além de passar à compradora obrigações que mantinha.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários