Ministério do Trabalho considera 22 novas profissões; veja lista
Divulgação
Ministério do Trabalho considera 22 novas profissões; veja lista

O Ministério do Trabalho e Previdência incluiu 22 ocupações/titulações na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO). Entre elas, estão skatista profissional, perito judicial, policial penal, analista de e-commerce, técnico em agente comunitário de saúde, obstetriz e oficial de proteção de dados pessoais. Com as novas inclusões, o Brasil registra agora 2.269 ocupações reconhecidas. E o que isso representa para o trabalhador? De acordo com o advogado Sérgio Batalha, a inclusão das novas categorias nesse ranking serve para facilitar o gozo de direitos trabalhistas e previdenciários.

"Um trabalhador que tem sua ocupação reconhecida pelo Ministério do Trabalho pode identificar mais facilmente direitos decorrentes do exercício profissional, como o próprio reconhecimento do vínculo de emprego", diz Batalha.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia 

Conforme explica o advogado, os dados da CBO servem de base para o governo formular políticas públicas de emprego.

Entre as profissões reconhecidas pelo ministério, algumas chamaram a atenção por não serem tão conhecidas por seu nome convencional. Entre elas estão o greidista, profissional que realiza cálculo do material a ser usado em terraplanagem, orienta e acompanha trabalho de corte e aterro, nivelamento e compactação de pistas e verifica estacas e marcações; e a obsteriz, que é mais mais conhecida como parteira.

Leia Também

Uma outra titulação foi a de skatista profissional, modalidade esportiva que nos últimos tempos tem enchido o coração dos brasileiros de alegria. Quem não lembra de Pedro Barros, Kelvin Hoefler e Rayssa Leal, a Fadinha, que levaram o skate brasileiro ao pódio nos Jogos Olímpicos de Tóquio no ano passado? O trio garantiu três medalhas de prata nos Jogos.

Atualização da lista

A atualização é feita levando em conta mudanças nos cenários tecnológico, cultural, econômico e social do país, que provocam alterações na dinâmica do mercado de trabalho brasileiro. Um exemplo de ocupação que surgiu a partir dessas mudanças é o oficial de proteção de dados pessoais (DPO). Segundo a pasta, a necessidade por profissionais do setor veio com a entrada em vigor no Brasil do Marco Civil da Internet e da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

É importante destacar que a CBO é o documento que reconhece a existência da ocupação, mas não interfere na sua regulamentação.

Confira as 22 profissões

  • Analista de e-commerce
  • Condutor de turismo náutico
  • Controlador de acesso
  • Engenheiro de energia
  • Engenheiro biomédico
  • Engenheiro têxtil
  • Estampador de placa de identificação de veículos (PIV)
  • Guarda portuário
  • Greidista
  • Inspetor de qualidade dimensional
  • Obstetriz
  • Oficial de proteção de dados (DPO)
  • Operador de manutenção e recarga de extintores de incêndio
  • Operador de usina de asfalto
  • Perito judicial
  • Policial penal
  • Profissional de organização
  • Skatista profissional
  • Somelier
  • Técnico em agente comunitário de saúde
  • Tecnólogo em agronegócio
  • Técnico em dependência química

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários