Novas medidas para conter preço dos combustíveis podem surgir
shutterstock
Novas medidas para conter preço dos combustíveis podem surgir

Flávia Arruda, ministra da Secretaria de Governo, afirmou neste sábado (12) que o governo não pode descartar outras medidas para conter o preço dos combustíveis, além do  projeto de lei complementar (PLP 11) sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro  na noite de sexta-feira (11).

O PLP muda a sistemática de cobrança do ICMS, imposto estadual, e zera PIS e Cofins, impostos federais, sobre o diesel e querosene de aviação até o final deste ano.

"A medida deste momento é essa [aprovação do PLP]. A gente sabe que não é o ideal, porque ainda teve reajuste e o preço do combustível ainda continua, mas a gente tem que lembrar que a gente está vivendo um momento de guerra", disse a ministra, questianada sobre um programa de subsídio ao diesel, em declaração feita na sede do PL, de acordo com a Folha de S. Paulo.

"Acho que não dá para a gente ter nenhuma previsibilidade no momento, falar assim: prazo de amanhã, de depois. Sem saber quanto tempo esse período de guerra ainda vive. Não podemos descartar a possibilidade de alguma medida importante, com responsabilidade fiscal e tudo", continuou.

Leia Também

A possibilidade de uma medida que subsidie o diesel era negada pela equipe econômica de Paulo Guedes. Na última quinta-feira (10), porém, o próprio  ministro admitiu que o fundo é estudado caso a guerra entre Rússia e Ucrânia se prolongue.

Neste sábado, Flávia Arruda negou uma mudança na política de preços da Petrobras, medida levantada por Bolsonaro. Ela ainda disse que a relação entre presidente e o general Silva e Luna, que comanda a Petrobras, "é sempre boa".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários