coca
Reprodução: iG Minas Gerais
coca

Consumidores no Reino Unido estão pressionando as redes de supermercados mais famosas, Sainsbury’s e Tesco, para que retirem produtos da Coca-Cola das prateleiras. Isso porque a multinacional não proibiu a venda na Rússia, acusada de violar lei internacional ao invadir a Ucrânia. 

A gigante de bebidas é dona de marcas como Sprite, Fanta, Schweppes e ainda não se posicionou sobre a invasão que já dura 12 dias. 

Segundo o jornal britânico The Sun, uma mulher escreveu para o Sainsbury's no Twitter: "Patético. Se você quer fazer a diferença, pare de vender Coca-Cola."

Crescem as publicações de mesmo tom com a #BoycottCocaCola (Boicote a Coca-Cola, na tradução do inglês). 

Leia Também

Os mercados já tomaram partido excluindo a venda de produtos russos, como vodkas e sementes de girassol. 

O Sainsbury's também renomeou um de seus pratos de frango em sinal de respeito à cidade no centro do conflito. O frango a Kiev se tornará frango a Kyiv nas próximas semanas para refletir a ortografia ucraniana.

Ao contrário da Coca, multinacionais como Visa, Nike, Ikea, Netflix, Airbnb e outras estão tomando medidas para boicotar a Rússia. Enquanto isso, Pepsi e McDonald's estão entre as gigantes que não se posicionaram sobre a invasão. 


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários