Fábrica da Volkswagen no Brasil
Reprodução: iG Minas Gerais
Fábrica da Volkswagen no Brasil

A lista de empresas que estão aderindo o boicote à Rússia só cresce. Com medo de levar calote devido às sanções econômicas que o país está sofrendo e até mesmo de ter seu nome ligado ao governo de Vladmir Putin, desta vez foram as multinacionais Volkswagen e Scania que suspenderam seus negócios com o Kremlin.

A Scania interrompeu as entregas de caminhões e peças de reposição para a Rússia, desde a semana passada, incluindo as oriundas da subsidiária brasileira, localizada em São Bernardo do Campo, em São Paulo. A empresa não disse quantos veículos deixa de enviar para a Rússia.

Em nota, informou apenas que está monitorando de perto a situação e que decidiu  “Os valores da Scania referentes à democracia, livre comércio, direitos humanos e respeito pelo indivíduo orientam todas as decisões da empresa”.

A Volks, por sua vez, disse que em razão do ataque à Ucrânia e as consequências resultantes, o Conselho de Administração do Grupo Volkswagen AG decidiu parar a produção de veículos na Rússia, até novo aviso, nas fábricas nas cidades russas Kaluga e Nizhny Novgorod.

Quer ficar bem informado sobre tudo que acontece na economia do Brasil e do Mundo? Acompanhe o  canal do Brasil Econômico no Telegram

Leia Também

“As exportações de veículos para a Rússia também serão interrompidas com efeito imediato”, avisou a empresa por nota.

As montadoras Volvo, Toyota e Ford também paralisaram suas produções ou vendas para os russos. E a lista de companhias inclui ainda vários outros setores, como as petroleiras Shell, BP e Exxon.

A Apple e o Google suspenderam venda de aplicativos de mídia estatal russa, assim como a Netflix que parou quatro produções.

Walt Disney e WarnerMedia, principais empresas de entretenimento de Hollywood, também adiaram seus lançamentos de filmes em resposta à guerra levantada por Putin.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários