Vladimir Putin, presidente da Rússia
[email protected] (LANCE)
Vladimir Putin, presidente da Rússia

O conselho da Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), conhecida como "o clube dos ricos", anunciou nesta sexta-feira (25) a decisão de interromper formalmente o processo de adesão da Rússia ao grupo e fechar o seu escritório em Moscou, em resposta à invasão russa na Ucrânia.

"A OCDE está firmemente solidária com o povo ucraniano", diz a nota oficial, que condena "com maior firmeza a agressão em larga escala da Rússia contra a Ucrânia".

A admissão russa ao grupo estava suspensa desde março de 2014, quando o país decidiu tomar o território da Crimeia. 

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia 

Brasil negocia entrada

Os 38 países que integram o Conselho decidiram, por unanimidade, convidar o Brasil a dar início ao processo formal de ingresso na organização. Com o convite, as negociações serão formalizadas e, segundo fontes do governo brasileiro, devem durar entre três e cinco anos.

Leia Também

O pedido de adesão à OCDE foi feito no governo do ex-presidente Michel Temer e reforçado pela equipe do presidente Jair Bolsonaro. Desde então, o Brasil aderiu a 103 dos 251 instrumentos normativos exigidos para entrar no organismo, sendo que na atual gestão foram 37 adesões.

Brasil e outros cinco países candidatos negociarão com OCDE ao mesmo tempo

Em Brasília, o convite feito ao Brasil é considerado uma vitória diplomática. Isto porque as negociações ocorrerão, ao mesmo tempo, com os seis candidatos a membros da OCDE: além do Brasil, concorrem a uma vaga Argentina,  Peru, Romênia, Bulgária e Croácia.  

Esta sempre foi a fórmula defendida pelo secretário-geral do organismo, o australiano Mathias Cormann, com apoio do Brasil. Assim, chegará na frente o país que cumprir mais rápido o total de regras exigidas para a adesão.

Outro ponto considerado relevante, nos bastidores, é que a OCDE se pronunciou antes das eleições deste ano. A expectativa é que o presidente Jair Bolsonaro tentará se reeleger.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários