Sede do Banco Central em Brasília (DF)
Agência Brasil
Sede do Banco Central em Brasília (DF)

Pouco mais de 10 milhões de pessoas e empresas ainda não consultados os saldos de dinheiro esquecido em bancos, segundo informou o Banco Central nesta terça-feira (15). Dados do BC mostram que 66 milhões de pessoas e empresas já fizeram as consultas dos valores.

Nesta primeira fase, cerca de 26 milhões de pessoas físicas e dois milhões de empresas devem receber os saldos bancários. Segundo o BC, R$ 3,9 bilhões estão disponíveis.

Dos 64,7 milhões de brasileiros que realizaram a pesquisa, 12,2 milhões estão com dinheiro disponível. No caso de CNPJs, 1,4 milhão de consultas foram feitas, mas 235,6 mil possuem saldo.

Os brasileiros com valores a receber devem acessar o portal do SVR novamente em março. Na data estipulada pelo BC, o beneficiário deverá prestar informações sobre a conta de depósito e poderá verificar o valor que irá receber.

Leia Também

Leia Também

Nesta primeira etapa, são considerados contas correntes ou poupança encerradas com saldo disponível, recursos não procurados relativos a grupos de consórcio encerrados, cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários e participantes de cooperativas de crédito, tarifas e parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente.

Quem não teve valor nesta fase, o Banco Central irá reabrir a consulta em maio. A próxima etapa irá contar tarifas e parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, contas de pagamento pré-pagas e pós-pagas encerradas e contas de registro mantidas por corretoras ou distribuidoras de títulos, além de valores mobiliários.

Como consultar

Para consultar os valores é necessário entrar no site valoresareceber.bcb.gov.br. Lá, o beneficiário deverá fornecer o CPF e data de nascimento. Ainda é possível realizar a consulta pela plataforma Gov.br.

O site irá fornecer apenas informação se há ou não saldo. Os valores e como será feito o depósito só serão informados em março, quando o beneficiário deverá acessar a plataforma novamente.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários