Liam Ghershony
Reprodução
Liam Ghershony

Liam Ghershony, de 24 anos, admitiu ter colocado benzodiazepínico no chá do seu pai para acessar uma carteira de Bitcoin equivalente a US$ 400 mil (R$ 2.137.000). O pai acordou dois dias depois de beber a substância presente em drogas antidepressivas. 

De acordo com o Washington Post, Liam deixou um bilhete ao lado do desacordado dizendo que "não precisava ser assim!", acrescentando que estava tentando ajudar os dois. "Eu vou te dar a melhor aposentadoria." 

Xícara de chá coletada como evidência
Reprodução ficha evidências
Xícara de chá coletada como evidência

A carteira da criptomoeda estava no celular do pai, que só foi encontrado quando um amigo acionou a polícia ao ficar preocupado com seu desaparecimento. Ele precisou passar quatro dias no hospital recebendo tratamento para desidratação grave e disfunção orgânica aguda.

David Lease, juiz do condado de Montgomery, em Maryland, chamou o ato de Liam de "ultrajante" após a conclusão do caso. Os promotores, no entanto, acharam que a acusação de "homicídio" era exagerada.

Leia Também

Liam ensinou o pai a investir em criptomoedas. Ao longo dos anos obtiveram lucros superiores a R$ 350 mil, no entanto, Liam se tornou usuário de drogas como cocaína e o próprio benzodiazepínico, o que fez com que ele ficasse muito suscetível às variações no preço do Bitcoin. 

Foi aí que o pai decidiu bloquear seu acesso à carteira de investimentos. 

"Eu fiz um monte de coisas malucas e confusas quando estava usando drogas", disse Liam. "Vou levar isso comigo - a culpa e a vergonha. E eu quero assumir isso enquanto me dedico na recuperação". Liam passou 125 dias na prisão e agora tenta cuidar da saúde mental.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários