Sergio Moro e Paulo Guedes
Gabriel de Paiva/Agência O Globo
Sergio Moro e Paulo Guedes

O ex-juiz e ex-ministro da Justiça Sergio Moro (Podemos) disse nesta terça-feira que, em um eventual governo, pretende privatizar a Petrobras e todos os bancos públicos, "se for possível".

Segundo o jornal "Folha de S.Paulo". Moro disse que a estatal é "uma empresa atrasada, que ainda vive da exploração do petróleo, um combustível que o resto do mundo já não está mais usando".

Enquanto era juiz da 13ª Vara Federal, de Curitiba, Moro julgou casos de suspeita de corrupção em contratos de empreiteiras com a estatal na Lava-Jato.

Ao longo da palestra, que durou cerca de três horas, Moro voltou a falar de privatização e fez referência a bancos públicos, como o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal:

Leia Também

"Cada privatização precisa avaliar o momento, mas meu viés (sobre o assunto) é positivo. O assunto não pode ser um tabu. Outro exemplo são os bancos, a Caixa e o Banco do Brasil. Hoje temos os bancos digitais que deu certo. E estamos presos ao passado. Se for possível privatizar tudo, que se privatize tudo."

Em setembro de 2021, o ministro da Economia Paulo Guedes também defendeu que Petrobras e Banco do Brasil entrem na fila de privatizações, embora haja resistências no governo federal.

O encontro de Moro em São José do Rio Preto foi patrocinado por uma filial do Grupo Lide, fundado em 2003 pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), também pré-candidato à Presidência.

Antes de se reunir com empresários, Moro foi entrevistado por um jornal local, participou de um encontro com pastores evangélicos e de um café da mannã em um hospital. Ele deve fazer um giro pelo interior paulista acompanhado pelo pré-candidato do Podemos ao governo do estado, Arthur do Val.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários