Bolsonaro durante filiação do PL
Divulgação
Bolsonaro durante filiação do PL

O presidente Jair Bolsonaro  sancionou o Orçamento para 2022 nesta sexta-feira (21) e os vetos foram publicados no Diário Oficial da União desta segunda (24). Foram mantidos os valores de R$ 4,9 bilhões para o fundo eleitoral e de  R$ 16,5 bilhões para as emendas do relator, que formam o chamado "Orçamento Secreto" .

Bolsonaro vetou R$ 3,1 bilhões em despesas de diversas áreas, mas manteve R$ 1,7  bilhões para reajuste de servidores, apesar de não garantir aumentos neste ano. 

Inicialmente o Congresso propôs R$ 5,7 bilhões, mas Bolsonaro disse que o valor seria de R$ 2,1 bilhões. Durante a aprovação do Orçamento no Congresso, subiu para R$ 4,9 bilhões, valor que foi aprovado pelo presidente.

Parlamentares querem que o governo eleve o valor para R$ 5,7 bilhões. Mas a equipe econômica do governo defende que não haja recomposição e o valor fique mesmo em R$ 4,9 bilhões.

O corte de R$ 3,18 bilhões que Bolsonaro fez em relação ao texto aprovado pelo Congresso se divide em:

  • R$ 1,36 bilhão: emendas de comissão
  • R$ 1,82 bilhão: despesas dos ministérios em geral (o governo ainda vai detalhar quais)


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários