China havia embargado carnes brasileiras após casos de Vaca Louca
Reprodução
China havia embargado carnes brasileiras após casos de Vaca Louca

Entidades ligadas ao agronegócio e ao comércio exterior estimam que o embargo chinês à carne brasileira tenha causado prejuízo de cerca de US$ 2 bilhões. O veto à carne bovina do Brasil começou em 4 de setembro e  foi removido apenas nesta quarta-feira (15).

A suspensão dos embarques para a China foi decidida pelo próprio governo brasileiro, depois do registro de dois casos atípicos de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), mais conhecida como vaca louca, em Minas Gerais e Mato Grosso.

Leia Também

Dois dias depois, a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) manteve o status do Brasil de país “com risco insignificante” para a doença. A conclusão foi que não houve contaminação entre os bovinos, e sim uma mutação em um único animal.

Por isso, o governo brasileiro esperava que a China retomasse o quando antes as compras de bovinos do Brasil, o que não aconteceu.

Numa previsão preliminar, José Augusto de Castro, presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), estimou que o setor teria prejuízo em torno de US$ 2 bilhões no período de outubro a dezembro deste ano, caso o embargo fosse mantido.

Já a Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) projetou, no início do mês, perdas de até US$ 1,8 bilhão, considerando o veto prolongado até este mês.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários