Funcionários protestam contra a empresa norte-americana em Blangadesh
Reprodução/Twitter
Funcionários protestam contra a empresa norte-americana em Blangadesh

Um grupo de funcionários da Amazon realizam, nesta sexta-feira (26), uma manifestação em 20 países contra a empresa norte-americana. Os empregados pedem um piso salarial digno, além de redução de descontos nos vencimentos e compensação pelo impacto ambiental causado pela empresa de Jeff Bezos. 

Segundo o movimento "Make Amazon Pay", funcionários bloquearam depósitos, refinarias petrolíferas e sedes da Amazon nos países que participam dos protestos. As manifestações contam  com apoio de sindicatos e entidades que defendem os trabalhadores. 

"A coalizão Make Amazon Pay é um grupo muito diverso de trabalhadores e seus aliados estão em muitos lugares e têm grupos ativistas diferentes", afirmou Casper Gelderblom, coordenador dos protestos, à revista Jacobin. 

O movimento surgiu na Black Friday de 2020, com intuito de conseguir direitos aos funcionários da Amazon nos Estados Unidos e países onde a distribuição é mais acentuada, como Itália, China e Índia. No entanto, o movimento passou a ganhar força neste ano, após a empresa esconder casos de Covid-19 em centros de distribuição. Na época, o marketplace foi multado em US$ 50 mil. 

O iG  entrou em contato com a assessoria de imprensa da Amazon para saber se há alguma manifestação contra a empresa no Brasil e quais medidas estão sendo tomadas. Em nota, a empresa negou os baixos salários oferecidos aos funcionários (leia a nota completa abaixo) e garantiu o oferecimento de benefícios competitivos. 

Leia Também

Confira imagens de manifestações em outros países 



Leia Também







Leia a nota completa da Amazon

"A Amazon está trabalhando em diversas áreas para desempenhar um papel positivo significativo junto às comunidades em que atua, aos seus associados e ao planeta como um todo. Estamos constantemente investindo em nossas pessoas, oferecendo salários competitivos em relação ao mercado, benefícios diferenciados aos nossos colaboradores e promovendo acesso a programas de saúde e segurança em nossas Operações. Em relação às mudanças climáticas, também estamos comprometidos com nosso objetivo de zerar a emissão de carbono líquido até 2040, no âmbito da inciativa Climate Pledge".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários