Auxílio Brasil ignora pelo menos 558 mil famílias em situação de extrema pobreza
Wikimedia Commons
Auxílio Brasil ignora pelo menos 558 mil famílias em situação de extrema pobreza

Auxílio Brasil começou a ser pago na última semana a cerca de 14,5 milhões de beneficiários que já recebiam o Bolsa Família. Seguindo as mesmas regras do seu antecessor, pelo menos neste mês, o novo programa deveria atender todas as famílias em situação de extrema pobreza (até agora, com renda mensal de até R$ 89 por pessoa). Mas o número de famílias nessas condições é de 15,06 milhões, segundo dados do CadÚnico. Isso significa que pelo menos 558 mil ficaram sem assistência.

Entretanto, o número de famílias que vivem na miséria e não são atendidas pelo Auxílio Brasil pode ser ainda maior. Isso porque o total de 14,5 milhões de beneficiários inclui não só pessoas em situação de extrema pobreza, como também pessoas em situação de pobreza (que, pelo menos neste mês, se referem àqueles que possuem renda de até R$ 178 mensais por pessoa). 

Em janeiro desde ano, 14.010.973 famílias eram extremamente pobres, e 14.232.705 eram beneficiárias do Bolsa Família (entre extremamente pobres e pobres). A partir de junho, a conta passou a apresentar um déficit. Ao todo, 14.718.690 famílias viviam em situação de extrema pobreza para um total de 14.695.025 beneficiados. Em setembro, a diferença ficou ainda mais gritante. Eram 15.064.443 para 14.655.264. Confira:

Janeiro

  • Famílias em situação de extrema pobreza: 14.010.973
  • Famílias atendidas pelo Bolsa Família: 14.232.705

Fevereiro

  • Famílias em situação de extrema pobreza: 14.166.755
  • Famílias atendidas pelo Bolsa Família: 14.264.964

Março

  • Famílias em situação de extrema pobreza: 14.328.402
  • Famílias atendidas pelo Bolsa Família: 14.524.150

Abril

  • Famílias em situação de extrema pobreza: 14.487.289
  • Famílias atendidas pelo Bolsa Família: 14.611.945

Maio

  • Famílias em situação de extrema pobreza: 14.611.684
  • Famílias atendidas pelo Bolsa Família: 14.695.095

Junho

Leia Também

  • Famílias em situação de extrema pobreza: 14.718.690
  • Famílias atendidas pelo Bolsa Família: 14.695.025

Julho

  • Famílias em situação de extrema pobreza: 14.860.804
  • Famílias atendidas pelo Bolsa Família: 14.695.025

Agosto

  • Famílias em situação de extrema pobreza: 14.965.065
  • Famílias atendidas pelo Bolsa Família: 14.655.304

Setembro

  • Famílias em situação de extrema pobreza: 15.064.443
  • Famílias atendidas pelo Bolsa Família: 14.655.264

Os dados de outubro e novembro ainda não foram divulgados pelo governo.

Como o Auxílio Brasil foi pago a cerca de 14,5 milhões de pessoas neste mês, houve uma redução de 148 mil beneficiários em relação ao último pagamento do extinto Bolsa Família. O novo programa também deixou de fora cerca de 29 milhões de brasileiros que recebiam o auxílio emergencial .

Vale destacar ainda que, desde que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) assumiu o poder, em janeiro de 2019, o número de famílias em extrema pobreza inscritas no CadÚnico cresceu 2,3 milhões (eram 12,7 milhões em dezembro de 2018).

Governo prometeu atender 17 milhões

A expectativa do governo federal era de que o número de famílias atendidas pelo Auxílio Brasil fosse de 17 milhões. A promessa, no entanto, ficou para dezembro, a depender da aprovação da  PEC dos Precatórios no Senado.

Em um decreto que regulamentava o substituto do Bolsa Família , no início de novembro, Bolsonaro também elevou o limite de renda mínima permitida para receber o benefício para R$ 200. Até então, o Bolsa Família considerava como pobre famílias com renda mensal per capita de até R$ 178.

Com a mudança, se tornaram elegíveis para o programa famílias em situação de extrema pobreza, com renda mensal de até R$ 100 per capita, e famílias em situação de pobreza, com renda mensal de até R$ 200 por pessoa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários