Pix completou um ano de operação nesta terça-feira (16)
Reprodução: iG Minas Gerais
Pix completou um ano de operação nesta terça-feira (16)

Na abertura do evento que marca um ano de Pix nesta terça-feira (16), o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou que mesmo com a aceitação ampla do novo meio de pagamento pela sociedade, o Pix ainda não atingiu todo seu potencial.

Campos Neto argumentou que o Pix ainda deve ganhar muitas funcionalidades no futuro, como o Pix Saque e Pix Troco, o pagamento offline e o Pix Internacional. Além disso, há previsão de melhorias para ferramentas que já existem.

"O Pix, apesar de já ter alcançado um uso expresso pela população, certamente ainda não atingiu todo seu potencial. O uso do QR Code, por exemplo, ainda depende de melhor assimilação de tecnologia por parte dos usuários", disse.

Na fala de abertura, gravada na semana passada, o presidente do BC ainda ressaltou que a adoção do Pix pela população aconteceu mais rápido do que o esperado.

Leia Também

"A realidade superou as expectativas. O Pix caiu no gosto do brasileiro e seu uso se intensifica mês após mês. O Brasil é o país que teve a adoção de meios de pagamento instantâneo mais rápida do mundo", destacou.

O diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução do BC, João Manoel Pinho de Mello, mostrou que o Pix registrou cerca de 30 transações per capita neste primeiro ano.

O número é mais de três vezes maior do que as nove transações no primeiro do ano do sistema de transações instantâneas do Chile, até então o recordista em velocidade de adoção. Só Dinamarca e Suécia, que implementaram transações instantâneas há mais de cinco anos, registram números maiores que o Brasil.

"Se o Pix tivesse alcançado a adoção tão rápida quanto a que era a maior àquela altura, o Chile, já seria um sucesso estrondoso. Nós temos muito mais do triplo aqui", afirmou o diretor.

Em outubro, o Pix superou 1,2 bilhão de transações feitas no mês, o maior número desde o lançamento da ferramenta. Foram R$ 584 bilhões transacionados apenas no mês passado. Desde o lançamento em novembro de 2020, foram 7 bilhões de transações que representam R$ 4 trilhões.

No caso de transferências, o Pix representa 72% do total, superando a soma de boletos, TEDs, DOCs e cheques. Para compras, a ferramenta superou o cartão pré-pago, mas ainda está atrás do cartão de débito e do cartão de crédito.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários