Com fim do Bolsa Família, futuro beneficiários do Auxílio Brasil tentam se cadastrar no CadÚnico
shutterstock
Com fim do Bolsa Família, futuro beneficiários do Auxílio Brasil tentam se cadastrar no CadÚnico

O fim repentino do Bolsa Família e Auxílio Emergencial provocou longas filas em centrais de atendimento para o cadastro do CadÚnico em estados do Nordeste. O aumento da procura acontece com o anúncio do início do pagamento do Auxílio Brasil para beneficiários do Bolsa Família a partir de 17 de novembro.

O CadÚnico é a porta de entrada para a população mais carente receber benefícios sociais do governo federal. Os beneficiários inscritos, normalmente, tem prioridade ao receber valores da União.

Foram registradas longas filas nos estados do Maranhão, Pará, Bahia e Pernambuco. Em alguns locais, centenas de pessoas ficaram sem atendimento devido à limitação de senhas imposta por cada central de atendimento.

A corrida para o cadastro vem com a promessa de reajuste no benefício social. Segundo o Ministério da Cidadania, o Auxílio Brasil passará a ter parcelas de R$ 400 e aumento no número de beneficiários. A intenção é zerar a fila de espera pelo Bolsa Família em dezembro.

Leia Também

Entretanto, a parcela prometida pelo governo começará a ser paga apenas no mês que vem. Isso porquê o Orçamento da União ainda está limitado e o Palácio do Planalto aguarda a aprovação da PEC dos Precatórios no Congresso Nacional para efetivar os pagamentos.

Em novembro, os 14 milhões de beneficiários receberão cerca de R$ 220. O valor representa reajuste de 20%, considerado pelo Ministério da Cidadania como aumento fixo.

Até dezembro, o governo espera ter uma definição sobre a PEC dos Precatórios e de onde será retirado os valore para cumprir a promessa de parcelas em R$ 400. Na negociação em andamento, o governo irá retirar R$ 300 do orçamento do Bolsa Família para 2022 e oferecerá R$ 100 de auxílio temporário até dezembro do próximo ano. A medida, que é vista como eleitoreira, deverá ser contabilizada fora do teto de gastos, alternativa rechaçada por parlamentares de oposição e especialistas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários