Número de empregos com carteira assinada criados em 2020 é 46,8% menor do que o divulgado pelo governo em janeiro deste ano
Jana Pêssoa/Setas
Número de empregos com carteira assinada criados em 2020 é 46,8% menor do que o divulgado pelo governo em janeiro deste ano

O número de empregos formais criados em 2020 foi quase a metade do inicialmente divulgado pelo governo. Dados revisados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostram que o Brasil teve 75.883 vagas com carteira assinada abertas no ano passado - 46,8% a menos do que as 142.690 divulgadas pelo governo em janeiro.

Na ocasião, o ministro da Economia, Paulo Guedes, havia comemorado o resultado. "A boa notícia é o acumulado do ano. Na recessão de 2015, na qual o PIB caiu 3,5% por erros de política econômica, nós destruímos 1,5 milhão de empregos. Na recessão de 2016, também em consequência de erros, perdemos 1,3 milhão de empregos. No acumulado de 2020, quando fomos atingidos pela maior pandemia dos últimos 100 anos, nós geramos 142 mil empregos".

A revisão foi feita pelo Ministério do Trabalho e da Previdência, recriado em julho deste ano. Em nota, a pasta informou que a queda se explica pela incorporação de informações enviadas fora do prazo pelas empresas. Isso porque as empresas precisam declarar ao ministério o número de demissões e contratações de empregados feitas a cada mês. No entanto, elas têm um prazo de 12 meses, a partir da data de demissão ou contratação, para envio dos dados.

Isso significa que, se uma empresa contrata ou demite um funcionário em novembro de 2020, ela tem até novembro de 2021 para entregar as informações ao Ministério do Trabalho.

Leia Também

As atualizações mostram que o número de demissões em 2020 foi 2,2% maior do que se acreditava anteriormente. Em janeiro, o Caged apontava que 15,02 milhões de pessoas haviam sido desligadas de seus trabalhos. Com a revisão, esse número subiu para 15,36 milhões.

As contratações também subiram. Dados anteriores indicavam que 15,16 milhões de trabalhadores haviam sido contratados no ano passado. Agora, sabe-se que foram 15,43 milhões de contratações - número 1,8% superior. Ainda assim, esse resultado positivo não compensou o saldo de demissões.

Vale lembrar que essas informações foram atualizadas com dados obtidos até setembro deste ano. O número ainda pode aumentar ou diminuir à medida que novas demissões ou contratações realizadas em 2020 forem acrescentadas.

"Ressaltamos que, mesmo com a mencionada revisão, o saldo do Caged de 2020 se mantém positivo, em que pese o pior momento da pandemia da Covid 19. Este ano, o Brasil já registra saldo de mais de 2,5 milhões de empregos formais", afirmou o Ministério do Trabalho e da Previdência.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários