Ministro Bento Albuquerque, de Minas e Energia
Agência Brasil
Ministro Bento Albuquerque, de Minas e Energia

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou nesta quarta-feira (03) que as chuvas das últimas semanas melhoraram a situação dos reservatórios de hidrelétricas, mas admitiu que manterá a situação de escassez hídrica nos próximos meses. Em conversa com jornalistas na COP26, Albuquerque disse ainda ser necessário trabalhar para evitar um racionamento de energia.

De acordo com o ministro, o reabastecimento de hidrelétricas demorará mais alguns meses. Embora diga que a situação é crítica, Bento Albuquerque afirmou não ser necessário o racionamento de energia no país neste momento.

"A escassez hídrica permanece. Estamos em melhores condições agora com o início da temporada das chuvas. Nós temos um trabalho ainda para recuperar os nossos reservatórios", disse.

O Brasil passa pela pior crise hídrica em 91 anos, com redução na capacidade de produção de usinas hidrelétricas. Reservatórios da região Centro-Sul do país operam, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), com 20% da capacidade.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) também criou uma bandeira tarifária para escassez hídrica. A medida fez com que as contas de energia elétrica ficassem mais caras.

Aos jornalistas, Bento Albuquerque prometeu investir em energia renovável, responsável por 85% da produção energética do país, e ressaltou o lançamento do março regulatório para energia eólica. A medida deve ser lançada até o começo da segunda quinzena de dezembro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários