Elizabeth Guedes, irmão do ministro Paulo Guedes, é vice-presidente da Associação Nacional das Universidades Particulares (Anup)
Marcos Oliveira/Agência Senado
Elizabeth Guedes, irmão do ministro Paulo Guedes, é vice-presidente da Associação Nacional das Universidades Particulares (Anup)

A irmã do ministro da Economia Paulo Guedes, Elizabeth Guedes, fez duras críticas a gestão de Jair Bolsonaro em um evento dedicado ao Dia Nacional de Mobilização em Defesa da Ciência. Para a professora, o governo federal se dedicou a encontrar soluções para bares e restaurantes durante a pandemia, deixando a educação para segundo plano.

Elizabeth disse que chegou a conversar com um dos secretários do irmão, mas sentiu que a reunião não surtiu efeito.

“Cheguei a discutir algumas vezes com o secretário de Produtividade e Emprego do Ministério da Economia. Estava mais preocupado com bares do que escolas. Bar, eu reabro. É triste que fechem. A gente gosta de tomar chope. Mas reabre fácil. Escola fechada não recupera mais”, afirmou a professora.

A irmã de Guedes ainda criticou os cortes feitos pelo governo federal de R$ 690 milhões para ciência e tecnologia. A solicitação foi feita pelo próprio Paulo Guedes. Elizabeth está entre os diversos profissionais da educação que assinaram um manifesto contra o corte de verbas.

No evento, a professora ainda disse acreditar que Bolsonaro não será reeleito em 2022. Ela aproveitou para cobrar uma política de Estado na educação e ressaltou não ser possível construir um projeto educacional em quatro anos.

“Espero que o próximo governo trace uma política de estado. Não de quatro anos. Não se constrói educação em quatro anos. Com indicadores que temos, investimento que temos, política que adotamos, o Brasil é hoje um país que não tem futuro”, disse Elizabeth.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários