Passagens aéreas acumulam alta de 56,8% nos últimos doze meses encerrados em setembro
Pixabay
Passagens aéreas acumulam alta de 56,8% nos últimos doze meses encerrados em setembro

Com o avanço da vacinação contra a Covid-19 no país, muitas famílias têm considerado retomar os planos de viagens que ficaram para trás com a pandemia. Mas encontram uma frustração: o preço das passagens aéreas disparou nos últimos dozes meses e já acumula uma alta de 56,8%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), só entre os meses de abril e junho deste ano, houve um aumento de 21,7% nas tarifas de voos nacionais. Os preços da Latam subiram 21,3%, os da Azul, 18,6%, e os da Gol, 15%, em relação ao mesmo período do ano passado – quando as passagens tiveram queda por conta da pandemia.

Um dos motivos para isso é justamente o aumento da procura pelas passagens aéreas. Com a retomada econômica e, agora, com a chegada do fim do ano, mais pessoas têm considerado viajar. Há também uma grande expectativa com a volta dos voos internacionais. Por causa do aumento na demanda, a oferta fica escassa.

Outra preocupação da aviação brasileira é a valorização do dólar frente ao real. A cotação da moeda americana acima dos R$ 5 dispara os custos das companhias aéreas, que tendem a repassar esses valores aos passageiros.

O que também deixa os preços mais salgados é a alta dos combustíveis. Na última quinta-feira (14), a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) fez um alerta sobre o preço do querosene de aviação, após a Anac informar que houve uma alta de 91,7% no valor do litro do combustível no segundo trimestre de 2021, em comparação a igual período de 2020.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários