Justiça de Santa Catarina condena JBS por demitir cerca de 40 trabalhadores indígenas durante a pandemia de Covid-19
Fernanda Capelli
Justiça de Santa Catarina condena JBS por demitir cerca de 40 trabalhadores indígenas durante a pandemia de Covid-19

A Justiça de Santa Catarina determinou que a JBS, dona de marcas como Swift, Friboi e Seara, recontrate cerca de 40 indígenas demitidos durante a pandemia de Covid-19. A empresa também deverá indenizar os trabalhadores por danos individuais e coletivos relacionados às demissões. As informações são da agência de notícias Reuters .

Entenda o caso

A JBS foi processada por suposta violação dos direitos dos trabalhadores indígenas após demitir cerca de 40 membros da tribo Kaingang de uma fábrica na cidade de Seara, em SC, em maio do ano passado.

A ação civil pública movida pelo Ministério Público do Trabalho considerou que a empresa discriminou esses funcionários à medida que a pandemia de Covid-19 aumentava no país.

O juiz responsável pelo caso, Adilton Detoni, condenou a companhia a pagar indenização por danos individuais de 10 vezes os salários de cada um dos trabalhadores desligados, com base no valor de seus contratos à época das demissões em massa.

Detoni também ordenou o pagamento de uma indenização coletiva equivalente a 50% do total do valor dos danos individuais. 

A JBS negou as alegações de discriminação. Segundo a empresa, os indígenas viajavam 300 quilômetros todos os dias para chegar ao trabalho, em um transporte providenciado pela própria empresa. Na época das demissões, a companhia afirmou que os trabalhadores foram dispensados após a descontinuação do serviço de transporte. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários