FGTS aprova reajuste de 10% no teto do programa Casa Verde Amarela em 3 estados

Valor máximo do imóvel subirá de R$ 240 mil para R$ 264 mil

FGTS aprova reajuste de 10% no teto do programa Casa Verde Amarela em 3 estados
Foto: O Antagonista
FGTS aprova reajuste de 10% no teto do programa Casa Verde Amarela em 3 estados

A pedido do setor da construção civil, o Conselho Curador do FGTS aprovou, nesta segunda-feira, reajuste de 10% no teto do valor do imóvel financiado pelo programa Casa Verde e Amarela. No Rio, em São Paulo e no Distrito Federal, o valor máximo do imóvel subirá de R$ 240 mil para R$ 264 mil.

O valor dos imóveis enquadrados no programa varia de acordo com as regiões e o tamanho da população.

De acordo com a resolução aprovada pelos conselheiros, nos municípios com população entre 50 mil e 100 mil habitantes, o aumento do limite do valor do imóvel será de 15%. Entre 20 mil e 50 mil habitantes, de 10%.

Você viu?

Já nos municípios com população menor que 20 mil habitantes não houve alteração.

Segundo dados apresentados na reunião do Conselho, nos últimos 12 meses encerrados em julho de 2021, o Índice Nacional de Custo de Construção (INCC) atingiu 17,35%. O último reajuste do valor do imóveis do programa Casa Verde e Amarela ocorreu em fevereiro de 2017.

O programa Casa Verde e Amarela atende famílias agrupadas em três faixas de renda: grupo 1 (até R$ 2 mil); grupo 2 (até R$ 4 mil) e grupo 3 (até R$ 7 mil), com taxas de juros entre 4,75% ao ano e 8,16% ao ano. As famílias beneficiadas ganham subsídios (desconto a fundo perdido no valor do financiamento), que variam entre R$ 29 mil e R$ 47,5 mil para os grupos 1 e 2.

O Conselho Curador também aprovou mudanças na sistemática de concessão dos subsídios para beneficiar famílias com menor capacidade de financiamento, sobretudo nas regiões Norte e Nordeste. Para 2021, o orçamento do FGTS prevê a concessão de R$ 8,5 bilhões em subsídios.