Previdência compensa o alto custo de vida para os beneficiários em caso de pagamentos em atraso
Agência Brasil
Previdência compensa o alto custo de vida para os beneficiários em caso de pagamentos em atraso

Os segurados do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) com direito a pagamentos em atraso estão recebendo quase um salário extra por conta do reajuste inflacionário concedido pela entidade. Segundo a Folha de São Paulo, a disparada do custo de vida pole elevar o benefício em 65%. 

Funciona assim, um benefício de R$ 1.100 concedido em agosto deste ano, mas que foi solicitado há 12 meses, resulta em um pagamento retroativo de R$ 13.902. Ou seja, R$ 702 a mais do que se ele recebesse um salário mensal, a diferença nesse caso é de 64%. 

O cálculo não considerou o 13º salário, aplicado a aposentadorias, pensões e benefícios por incapacidade, mas não ao BPC (benefício assistencial).

O INSS reajusta os pagamentos de acordo com o INPC  (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). O indicador aponta alta de 9,85% em 12 meses e segue subindo. Em julho, registrou variação de 0,96%, maior resultado desde 2002.

O tempo médio de concessão de um benefício está em 83 dias, segundo a entidade, ou seja, seriam aplicados o INPC sobre dois salários. Se você recebe R$ 1.100 do INSS e esperou dois meses para ter o benefício, receberá R$ 2.229,11, por exemplo.

Veja simulações:

fs
Reprodução Folha de São Paulo

Simulações de atrasados do INSS




    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários