Manifestações devem ser realizadas em todos os estados e Distrito Federal
Roberto Parizzoti/ CUT
Manifestações devem ser realizadas em todos os estados e Distrito Federal

A Central Única dos Trabalhadores (CUT), com apoio de sindicatos estaduais, prepara a paralisação geral de servidores a partir desta quarta-feira (18) contra o texto da reforma administrativa discutida na Câmara. Para as entidades, a proposta tira direitos dos trabalhadores e poderá prejudicar salários e benefícios recebidos por servidores. 

A proposta ainda está em discussão na Câmara dos Deputados, mas deve ser votada até o fim deste mês. O presidente da Casa, Arthur Lira (Progressistas-AL), informou que pretende agilizar a análise do texto para entregar ao Senado até setembro. 

Segundo a CUT, a mobilização será em todo o país e deve se estender até 7 de setembro, feriado de Independência do Brasil e data de mobilizações a favor do governo Jair Bolsonaro. As entidades pretendem pedir a saída de Bolsonaro da presidência da República e rebater as declarações do apoiadores do governo. 

A CUT, no entanto, não informou se haverá manifestações programadas em locais públicos ou só se haverá a paralisação. O governo federal também não se pronunciou sobre a possibilidade de greve. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários