Empresas acreditam que recuperação econômica ajude no aumento de contratação nos próximos meses
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Empresas acreditam que recuperação econômica ajude no aumento de contratação nos próximos meses

O número de contratações deve aumentar ainda neste ano, conforme avança a vacinação no Brasil. Uma pesquisa realizada pela consultoria PwC Brasil aponta que 60% das empresas pretendem contratar nos próximos meses.

Foram ouvidas mais de 20 indústrias entre outubro de 2020 e março deste ano. Durante esse período, de acordo com o levantamento, houve diminuição de 10% na adesão ao programa do governo federal de redução de jornada ou de suspensão temporária do contrato de trabalho, além da concessão de férias individuais ou coletivas.

A pesquisa também mostrou que 79% das empresas pretendem manter ou implementar o trabalho remoto, e 68% adotarão o modelo híbrido, combinando expediente remoto e presencial.

"Nossa pesquisa mostra que a pandemia trouxe avanços e mudanças estruturais permanentes na gestão dos trabalhadores, como na adoção do trabalho à distância e mais políticas de retenção de talentos", afirma Flávia Fernandes, sócia da PwC Brasil, que avalia que o trabalho remoto estará presente de forma definitiva no dia a dia das empresas daqui para a frente.

Você viu?

O levantamento mostrou ainda que 28% das empresas permitiram que seus profissionais trabalhassem fora da cidade ou do país de origem da contratação, ampliando as fronteiras do home office. Para 38% dessas companhias, existe a possibilidade de manter esse modelo mesmo após a pandemia.

Com isso, quase 25% das empresas adotaram medidas específicas para empregados em mobilidade global, com 23% adotando o virtual assignment (mobilidade internacional virtual) e 19% repatriando seus empregados.

A oferta de infraestrutura de trabalho aos profissionais que passaram a cumprir o expediente em casa, com reembolso de despesas com internet e telefone, quase dobrou em relação à pesquisa anterior, em junho de 2020, passando de 10% para 23%. Nesse contexto, 30% das empresas afirmam que vão estudar seguir com essa política nos próximos meses.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários