Cerca de R$ 3,6 bilhões em alimentos foram desperdiçados em 2020
Reprodução: Alto Astral
Cerca de R$ 3,6 bilhões em alimentos foram desperdiçados em 2020

Em meio ao aumento no registro de segurança alimentar grave no país, a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) divulgou dados que mostram o desperdício de R$ 3,6 bilhões em alimentos no ano passado. Embora seja uma parcela muito pequena se comparado a 2016, quando foi registrado quase R$ 60 bilhões em desperdício, o número, considerando o registro de fome no Brasil, ainda é alto.

Segundo supermercadistas, o motivo do desperdício é a necessidade da troca de estoque devido ao prazo de validade dos produtos não adquiridos pelos consumidores. Nessa toada, há a colaboração para o desperdício de 124 kg de comida por ano da população.

No entanto, a tecnologia tem sido aliada para evitar o desperdício desnecessário de alimentos. Um aplicativo criado por empresários pretende diminuir o índice de lixo desnecessário criado pelas empresas. Produtos com prazo de validade se esgotando e podem ser consumidos rapidamente é destinado para consumidores com preços abaixo do praticado nas prateleiras.

"Com esse desenvolvimento tecnológico começou a ser possível a venda de produtos que antes eram perdidos por bares, restaurantes e supermercados. O valor que perdemos de alimentos no Brasil, atualmente, é altíssimo e essa tecnologia possibilita que esses produtos possam ser colocados no mercado novamente e deixem de ir para o lixo", conta o sócio-fundador da B4waste, Daniel Neuman.

Você viu?

O aplicativo funciona como um e-commerce de alimentos em que as empresas publicam seus produtos e entregam na casa do cliente. No entanto, elas são obrigadas a informar o prazo de validade do alimento e oferecer preços abaixo dos 50% do praticado em lojas físicas.

"As varejistas abrem suas lojas no aplicativo e, em seguida, disponibiliza os produtos na plataforma. Nós usamos uma premissa em que é obrigatório o desconto de pelo menos 50% no valor dos produtos. Temos casos de ticket de R$ 100 em que o consumidor pode comprar vários produtos e com preços bem mais concorridos se comparado às lojas físicas", ressalta Neuman.

A alternativa foi inspirada nos moldes europeus, onde o descarte de alimento é reduzido ao máximo. No caso da França e Itália, segundo Neuman, há aplicativos destinados para venda de produtos próximos da validade e a intenção é trazer o sucesso europeu para o Brasil. 

"A ideia é uma inspiração que encontramos em outros países. Pegamos mais ou menos alguns modelos que acontecem na Suécia, em Londres e Paris e que funcionam muito bem. Para o Brasil, trouxemos a mesma iniciativa, mas de forma adaptada ao nosso mercado", diz o empresário.

"O que eu acho lindo dessa operação da B4waste é que toda essa cadeia sustentável soma ao resultado da operação. Esses produtos próximos do vencimento podem seguir para o consumo, pode ajudar a diminuir a curva de fome e ajuda na sustentabilidade do país", completa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários