Bolsonaro vê no novo Bolsa Família a possibilidade de aumentar sua popularidade
Pablo Jacob / Agência O Globo
Bolsonaro vê no novo Bolsa Família a possibilidade de aumentar sua popularidade

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) confirmou nesta terça-feira (03) a intenção do Palácio do Planalto em dobrar o valor do Bolsa Família nos próximos meses. A proposta do governo é reajustar as parcelas para R$ 400, 100% a mais dos atuais R$ 190. 

"Estamos ultimando esforços para dar um aumento de no mínimo 50% no Bolsa Família, podendo chegar a 100% em média. Com isso além de atendermos a população, a gente prepara o Brasil para voltar à normalidade", afirmou Bolsonaro, em entrevista para a TV Asa Branca.  

A medida, no entanto, ainda está em estudos no Ministério da Economia, pois, segundo a equipe técnica de Paulo Guedes, será necessário a restruturação de precatórios para viabilizar o benefício. Na segunda-feira (02), o ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, e a secretária de governo, Flávia Arruda, se reuniram com os presidentes da Câmara, Arthur Lira (Progressistas-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para negociar a possibilidade de aprovação de restruturação de precatórios e liberar verba para o benefício assistencial. 

O reajuste do Bolsa Família é uma das alternativas encontradas pela ala política do Planalto para aumentar a popularidade de Jair Bolsonaro às vésperas das eleições em 2022. Há a preocupação com as pesquisas eleitorais, em que Bolsonaro perde para seu principal concorrente, o ex-presidente Lula. 

A alterações realizadas no benefício devem entrar em vigor em novembro, quando se encerra os pagamentos do auxílio emergencial. Entretanto, o governo tenta adiar a implantação do novo Bolsa Família para conseguir apoio do Congresso Nacional e mercado financeiro para a PEC dos Precatórios, que prevê parcelamento de processos judiciais perdidos pela União. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários