Ciro Nogueira será um dos intermediadores do governo para aprovação do novo Bolsa Família
Agência Brasil
Ciro Nogueira será um dos intermediadores do governo para aprovação do novo Bolsa Família

O governo federal entregou nesta segunda-feira (02) a proposta de emenda à Constituição (PEC) que reformula o Bolsa Família e aumenta o valor das parcelas do benefício. De acordo com a proposta, os beneficiários receberão, em média, R$ 400. 

O valor pretendido pela cúpula do Palácio do Planalto é muito acima do pretendia a equipe econômica, que era pouco mais de R$ 250, mas abriu a possibilidade de reajuste o programa assistencial em R$ 300. No entanto, o Ministério da Economia está preocupada com a retirada do dinheiro para o pagamento do benefício. 

Precisando de popularidade às vésperas das eleições de 2022, o presidente Jair Bolsonaro acredita que o reajuste do Bolsa Família poderá angariar votos de beneficiários e reverter os índices de votos das pesquisas de opinião. Não atoa, o governo mandou sua linha de frente para a negociação do novo benefício aos congressistas. O ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, e a secretária de Governo, Flávia Arruda, ex-parlamentares e que possuem trânsito nos corredores do Congresso Nacional. 

Entretanto, para viabilizar o alto reajuste do benefício, os parlamentares precisarão diminuir gastos da União, mas a medida encontra resistência dos congressistas. Na última tentativa do governo de alterações no programa social, o Ministério da Economia sugeriu mexer em precatórios, entretanto a notícia foi mal recebida pelo mercado financeiro e parlamentares. 

Ainda não há a confirmação sobre quais as alterações que serão feitas e nem a quantidade de novos beneficiários do Bolsa Família. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários