FGTS fica com Onyx, mas Guedes quer barrar nomeações políticas
Reprodução: iG Minas Gerais
FGTS fica com Onyx, mas Guedes quer barrar nomeações políticas

A recriação do Ministério do Trabalho, com o nome de Emprego e Previdência pode abrir 202 novos cargos para indicação  de políticos. O ministro da Economia Paulo Guedes, no entanto, quer barrar a criação de novas funções, em troca, abriria mão do FGTS e do FAT, ativos em torno de meio bilhão de reais , segundo adiantou a colunista do UOL, Carla Araújo. 

Segundo ela, o ministro que "evitar stress", o que significaria evitar nomes do Centrão na Economia. Pelo desenho atual, esses fundos estão na alçada da Secretaria de Fazenda, em um departamento específico, e não na Secretaria de Previdência e Trabalho, que será desmembrada.

A perda dos fundos que juntos somam R$ 583 bilhões podem ser consideradas uma derrota de Guedes, e uma vitória do braço direito do presidente Jair Bolsonaro, Onyx Lorenzoni, que ganhará a pasta do Emprego para acomodar o  novo ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira .

Onyx deverá indicar como secretário-executivo do novo ministério o atual secretário da Previdência, Bruno Bianco. 

O atual ministro da Economia sempre diz, "quem manda na Economia é a política", mas, dessa vez, ele fez um pedido. Guedes quer o retorno da Pasta do Trabalho para seu controle após a candidatura de Onyx em 2022.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários