Jornalista Ed Wanderley e seu livro Diário de um gordo (em dieta), que será lançado em 24 de junho
Divulgação
Jornalista Ed Wanderley e seu livro Diário de um gordo (em dieta), que será lançado em 24 de junho

Na onda da autopublicação, o jornalista pernambucano Ed Wanderley lança, no próximo dia de São João (24/6), o livro “ Diário de um gordo (em dieta) ”, um convite à reflexão sobre padrões, sorte (e falta dela), autoimagem e a capacidade de rir de si mesmo.

Por mais que se diga que o brasileiro lê pouco ou se acostumou a não ir além das manchetes - e considerando ainda a sequência de recuperações judiciais de grandes redes de livrarias no país apenas nos últimos quatro anos -, a tentação seria de que não vale a pena se lançar escritor no país. Há dados que mostram o contrário. E, para além dos dados, a vontade de contadores de histórias ignoram qualquer mau presságio, tal qual fez o jornalista pernambucano Ed Wanderley, que lança o autopublicado “Diário de um gordo (em dieta)”, no próximo dia 24/6 sem medo de estatísticas ruins.

No campo do mercado, ainda que grandes distribuidoras de literatura, antes cambaleantes, tenham sentido em cheio o peso da pandemia no Brasil, o público vem achando outras formas de leitura e estimulando um mercado paralelo, como a autopublicação - quando, sem editora, o autor publica e distribui sua obra, com ou sem auxílio de terceiros. Só na plataforma de autopublicação, Clube de Autores, quase 50 novos títulos chegam às prateleiras digitais brasileiras a cada dia. Em 2020, a empresa, que permite a autores publicar e distribuir suas obras nas principais lojas virtuais do país, cresceu 40% em vendas. Segundo a Forbes Brasil, o lucro estimado da companhia chegou a R$ 8,5 milhões, podendo chegar a R$ 17 milhões em 2021.

O próprio modo de consumo teve a mudança acelerada pelo novo coronavírus e os leitores mais ávidos, apesar de comprarem menos livros físicos, leram mais durante a quarentena. Maior loja virtual de livros na atualidade, a Amazon é também a plataforma de autopublicação mais procurada, com cerca de 100 mil obras disponibilizadas por brasileiros desde 2012, quando trouxe ao país o Kindle Direct Publishing (KDP), que disponibiliza, em três dias, a obra do autor em seu acervo. Dos 100 títulos mais vendidos na Amazon, 30 são autopublicados.

A “facilidade” de publicação e a velocidade com a qual o título chega na mão de leitores faz disparar o consumo digital de livros, mesmo em cenário de queda dos livros físicos. De acordo com a última pesquisa da Sociedade Nacional dos Editores de Livros (Snel), em parceria com a consultoria Nielsen e a Câmara Brasileira do Livro (CBL), entre 2016 e 2019, o faturamento do mercado editorial com conteúdos digitais mais que dobrou, com crescimento de 115%, chegando a R$ 103 milhões. Com o fechamento temporário de livrarias e o confinamento durante a pandemia, esses números serão ainda mais expressivos até o fim de 2021.

Você viu?

“Não entrei na onda (da autopublicação) para ficar rico, mas para compartilhar histórias com um público maior que não alcançaria nas redes, por exemplo”, explica o jornalista e escritor Ed Wanderley, cujo primeiro livro pela Amazon KDP sai no próximo dia de São João (24). Para ele, o processo com editoras tradicionais leva muito tempo e a urgência de levar a mensagem a outros públicos é característica de sua geração, então o caminho foi natural. “Escrever é tão terapêutico quanto ler, então se alguém for provocado com uma reflexão ou simplesmente rir num dia que estava precisando muito por conta do que pus naquelas páginas, já vou ter cumprido minha missão”, completa.

O “Diário de um gordo (em dieta)” reúne 50 crônicas marcadas por ironia, mau humor e reflexões sobre a luta contra a balança. Ficcional, a obra é concebida com verdadeiras aventuras que se passam no cotidiano, com um personagem que não tem nem a ida a um supermercado como uma experiência tradicional.

“Não é biográfico, mas, claro, tem muito das minhas vivências e inseguranças ali e acho que é o relato humano sem censuras ou limites que vai fazer muita gente se identificar”, garante Wanderley. O livro físico está disponível no site do autor (edwanderley.com) e o digital, e-book, no site brasileiro da Amazon, que oferece ainda a versão impressa sob demanda para o público dos Estados Unidos e Europa pelas lojas da amazon.com e amazon.es.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários