Com declaração, Bolsonaro contraria estudos do Ministério da Economia sobre extensão do benefício
Alan Santos/PR
Com declaração, Bolsonaro contraria estudos do Ministério da Economia sobre extensão do benefício

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta terça-feira (01) que quem precisar da renovação do auxílio emergencial poderia ir 'ao banco e pedir empréstimo' . A declaração foi dada à apoiadores em frente ao Palácio do Planalto. 

Bolsonaro voltou a atacar as medidas de restrição tomadas por estados para reduzir o índice de contágios pela Covid-19. Aos simpatizantes, o presidente disse que "não mandou ninguém ficar em casa". 

"Qual país do mundo fez um projeto igual ao nosso, num momento de crise, que foi o auxílio emergencial? Nós gastamos em 2020 com o auxílio emergencial o equivalente a dez anos de Bolsa Família. E tem gente criticando ainda falando que quer mais. Como é endividamento por parte do governo, quem quer mais é só ir no banco e fazer empréstimo", disse o presidente.

"Sabemos da situação difícil que se encontra a população, que perdeu o emprego. Não por culpa do presidente, eu não obriguei ninguém a ficar em casa, não fechei comércio e por consequência não destruí emprego", acrescentou.

O benefício emergencial foi retomado em abril e tem o fim das parcelas programado para julho. O Ministério da Economia estuda a possibilidade para prorrogar o auxílio emergencial até o fim deste ano .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários