O ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido)
O Antagonista
O ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido)


O escândalo do Tratoraço e do Orçamento Paralelo tem se mostrado cada vez mais ameaçador para a gestão Jair Bolsonaro (sem partido). Isso porque à medida que a  Comissão Parlamentar de Inquérito ( CPI ) da Covid-19 se desenrola,  um novo inquérito para investigar o Bolsolão fica mais palpável. O ministro da Economia, Paulo Guedes , entretanto, diz estar despreocupado com o assunto. 

“Graças a Deus não temos nada a ver com isso”, disse o ministro aos membros da equipe econômica sobre as revelações do jornal O Estado de São Paulo . O alívio é devido à atenção do assunto estar voltada para outros ministérios que não o dele.

Fontes da pasta da Economia ouvidas pela revista Veja revelam que a alegria se deve ao rival de Guedes, o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho , estar no centro da polêmica.

Você viu?


O “Orçamento Secreto”, ou Bolsolão, são emendas parlamentares que somaram cerca de R$ 3 bilhões de reais sem conhecimento dos órgãos de fiscalização e transparência pública. O dinheiro era  direcionado para a pasta de Marinho e o governo definia os parlamentares que seriam beneficiados com recursos extra. 

Parte das emendas foi destinada à compra de equipamentos agrícolas e tratores por preços até 259% acima dos valores de referência fixados pelo governo.

O ganho do governo com o esquema é a sustentação política enquanto o Brasil vê sua vacinação contra a Covid-19 desacelerar e o número de mortes pela doença se aproximarem da marca do meio milhão .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários