Entregadores de aplicativos poderão entregar compras de conglomerado de mercados
Roberto Parizotti/Fotos Públicas
Entregadores de aplicativos poderão entregar compras de conglomerado de mercados

O GPA e o aplicativo de entregas iFood  anunciaram na terça-feira uma parceria para entrega de compras nas lojas do grupo varejista, mostrando a rápida movimentação de grandes empresas no país nas compras on-line de produtos de supermercado, que cresceram rapidamente com a pandemia da Covid-19 .

A previsão das companhias é de que, até o fim do mês, mais de 200 lojas das marcas do GPA, incluindo  Extra e Pão de Açúcar , no país operem o serviço. Com a parceria, o GPA prevê duplicar suas vendas digitais em 2021, que atingiram 1,1 bilhão de reais no ano passado, afirmou à Reuters o diretor de operações do GPA, Luiz Henrique Costa.

As compras nas marcas do GPA para entrega pelo iFood estarão disponíveis em 15 Estados (SP, RJ, PR, DF, MS, PI, AL, CE, BA, AL, TO, PA, PI, MG, GO). O tempo de entrega vai variar com a localização do cliente e a modalidade escolhida de entrega.

"Vamos ter entregas com fretes grátis para algumas compras a partir de determinados valores, por um período promocional", disse Henrique Iwamoto, vice-presidente do iFood Mercado, unidade do iFood para esse segmento, no qual já opera em cerca de 400 cidades no país.

Haverá opções de entregas em até 15 minutos até as que podem ser agendadas de acordo com o horário escolhido pelos clientes, sem quantidade limite de itens. O acordo não envolve entrega de produtos como eletrodomésticos e bazar.

Você viu?

A parceria mostra uma mudança por parte das duas companhias. O GPA, que anos atrás, chegou a ter uma parceria com a Rappi, rival do iFood, posteriormente concentrou as entregas de compras on-line no seu próprio negócio do segmento, James. Agora, está operando com diferentes players do setor simultaneamente.

"É um correção de rota orientada pelo comportamento do cliente", disse Costa, do GPA.

No caso do iFood, os planos anteriormente eram de se concentrar no negócio principal de entrega de refeições e depois de prestação de serviços para os próprios restaurantes.

A associação acontece no momento em que gigantes do comércio eletrônico no país, incluindo Magazine Luiza, Via Varejo e Mercado Livre, se movimentam para incluir itens de supermercados em suas plataformas como um meio de ampliar a recorrência dos clientes em seus marketplaces.

Nesta terça-feira, a plataforma online de itens de supermercado Shopper anunciou que recebeu um aporte de 120 milhões de reais de investidores estrangeiros para ampliar sua operação no país.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários