Pfizer e outras farmacêuticas aparecem no ranking de empresas inovadoras no mundo
Patrick T. Fallon/Divulgação
Pfizer e outras farmacêuticas aparecem no ranking de empresas inovadoras no mundo

Apesar de ser um momento crítico para os negócios no mundo, a crise decorrente da pandemia de Covid-19 também trouxe oportunidades de desenvolvimento para algumas empresas. É o que aponta o ranking de 50 empresas eleitas pelo Boston Consulting Group (BCG) como as mais inovadoras do mundo .

Naturalmente, a lista é encabeçada por empresas focadas em tecnologia , as big techs. Mas também houve destaque para as farmacêuticas, que investiram pesado no desenvolvimento de vacinas em tempo recorde

A consultoria reuniu as experiências de empresas que se destacaram ao apostar em inovações, dentro de seus segmentos em um contexto desafiador, seguindo a máxima de que crise é também oportunidade.

Gigantes techs no topo

No topo estão as gigantes mundiais de tecnologia e informática: Apple , Alphabet – que está por trás do Google –, Amazon e Microsoft encabeçam a lista nesta ordem.

Ainda aparece entre as primeiras posições a montadora de carros elétricos Tesla, do bilionário Elon Musk , em quinto lugar.

O ranking faz parte do 15º relatório anual "Companhias mais Inovadoras 2021" (“Most Innovative Companies 2021” no original em inglês, ou MIC Report), do BCG, divulgado nesta quinta-feira.

Farmacêuticas de volta à ponta

Um dos destaques deste ano são as empresas do setor farmacêutico que não estavam na última lista e agora passaram a fazer parte dessa classificação.

A Pfizer e a Moderna , nas posições 10 e 42 respectivamente, assim como a Merck & Co. em 35º lugar, estiveram em evidência com investimento na produção e entrega de vacinas contra o coronavírus em tempo recorde.

Você viu?

Além disso, a Abbott Labs , uma das pioneiras no desenvolvimento de kits de teste para Covid-19, ocupa o número 29 da lista pela primeira vez.

A AstraZeneca não faz sua estreia no anuário, mas voltou a integrá-lo depois de não estar presente na última edição, assim como a farmacêutica Roche, responsável pelo pedido de uso emergencial do coquetel contra a Covid-19 da Regeneron no Brasil.

A Johnson & Johnson , outra desenvolvedora de vacinas para combater a pandemia, permanece no relatório desde o ano passado.

Varejistas se destacam online

Ainda como destaque no desenvolvimento de testes e equipamentos para a doença, está a Bosh em 30º lugar. Também do setor industrial, Siemens (11ª) e GE (47ª) encontraram novos usos para tecnologias avançadas e apostaram em inteligência artificial.

A 18ª e 23ª posições, ocupadas pela Target e o Walmart, se destacaram com investimentos em recursos de e-commerce para lidar com o aumento da demanda em tempos de isolamento social.

Quem também atendeu aos desejos do público nesse momento de compras remotas foi a Amazon , que ganhou o terceiro lugar na publicação.

O setor de vestuário é outro que está presente no relatório 2021 da BCG, com Adidas (34ª) e a Nike (24ª). A japonesa Fast Retailing, multinacional de comércio varejista detentora da empresa de roupas Uniqlo, está no ranking pela primeira vez.

Grandes empresas de produtos de consumo também aparecem, como a Coca-Cola, P&G e PepsiCo, que não estava presente no último ano.

Veja abaixo uma lista das 15 mais bem colocadas

  1. Apple;
  2. Alphabet;
  3. Amazon;
  4. Microsoft;
  5. Tesla;
  6. Samsung;
  7. IBM;
  8. Huawei;
  9. Sony;
  10. Pfizer;
  11. Siemens;
  12. LG;
  13. Facebook;
  14. Alibaba; e
  15. Oracle.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários