Fase emergencial em SP: veja o que mudou no funcionamento do comércio
Amanda Perobelli/Reuters
Fase emergencial em SP: veja o que mudou no funcionamento do comércio

Por causa do aumento no número de casos de Covid-19 e internações em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) no estado de São Paulo, o governo resolveu endurecer ainda mais as regras do Plano SP, que visa conter o avanço da pandemia no estado.

Com o anúncio de hoje, todo o estado passa para a fase vermelha emergencial, que é a mais restritiva. Com isso, surgiram dúvidas quanto ao comércio e quais estabelecimentos podem permanecer funcionando. Confira o que muda:

  • Lojas de material de construção não poderão mais abrir durante esta fase. Antes, o setor era considerado essencial
  • Comércios, como lojas de roupas e produtos em geral, não poderão operar com serviço de retirada presencial, apenas delivery (24h) ou drive-thru (das 5h às 20h)
  • A mesma regra vale para restaurantes, que não podem servir refeições no local ou receber clientes para retirada. Agora, apenas delivery (24h) ou drive-thru (das 5h às 20h)

Serviços que podem continuar a funcionar:

  • Hospitais, farmácias, dentistas e veterinários continuam a funcionar normalmente
  • Supermercados, açougues e padarias, lojas de suplemento e feiras livres podem funcionar
  • Postos de combustíveis e empresas do setor logístico também podem continuar operando
  • Transporte público coletivo, táxis, aplicativos de transporte, serviços de entrega e estacionamentos liberados
  • Outros serviços, como lavanderias, serviços de limpeza, hotéis, manutenção e zeladoria, serviços bancários (incluindo lotéricas), serviços de call center, assistência técnica e bancas de jornais também podem operar

O governador de São Paulo,  João Doria (PSDB),  anunciou também que os  supermercados vão continuar a funcionar normalmente e que as novas medidas não se aplicam ao setor.

"(Os mercados) Não terão restrição no horário de funcionamento de supermercados, minimercados. Eles poderão operar nos seus horários normais, inclusive 24 horas. A restrição é o toque de recolher das pessoas, ou seja, as pessoas que estão com a limitação para não sairem de suas casas a partir das 20 horas", disse o governador.

Você viu?

A medida anunciada nesta quinta-feira (11) pelo governo estadual estará em vigor entre os dias 15 e 30 de março. Ou seja, as mudanças começam a valer a partir da próxima segunda-feira.

O que muda
Governo de SP
O que muda


O coordenador do Centro de Contingência da Covid-19, Paulo Menezes, afirmou que as medidas restritivas não tem como objetivo cercear a vida da população. "Buscamos proteger a vida das pessoas e o isolamento social nos mostra isso (...) Apesar de já estarmos na fase vermelha, a situação continua piorando e  nós precisamos aumentar o isolamento", disse.

Apesar do aumento nas restrições, o governador João Doria afirmou que a medida não se trata de um lockdown. "Eu quero lembrar que nós não estamos fazendo lockdown, nós estamos fazendo uma fase emergencial. Lockdown é a última das últimas medidas, aquela em que você não pode sair de casa em nenhuma circunstância", defendeu o governador.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários