Protestos ocorridos em maio de 2018 são uma das maiores agitações já registradas no país
Nilton Cardin / Agência O Globo
Protestos ocorridos em maio de 2018 são uma das maiores agitações já registradas no país


Nesta terça-feira (9), o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, disse que o governo estuda medidas para "blindar" os caminhoneiros de variações bruscas no preço do diesel .

Durante uma live, o ministro negou que o governo tenha intenção de interferir na Petrobras – sobretudo, na política de preços dos combustíveis.

"É uma premissa. Não há nenhuma possibilidade de a gente interferir [na estatal]. A gente pode tentar pensar em algumas medidas que são estruturais, são medidas de mais médio prazo, e que proporcionem alguma blindagem contra possíveis flutuações [no diesel], sem obviamente interferir na política de preços da Petrobras", afirmou.

Você viu?

Leia também

Freitas alega que o procedimento atual para contratação do frete é "penoso" e "burocrático", por exigir muitos documentos de emissão difícil – o que levaria à necessidade de intermediários, aumento de gastos e à perda de receitas.

"A ideia é modernizar isso. Transformar, condensar todos esses documentos em um documento único, eletrônico, que o caminhoneiro vai portar no seu celular", afirmou.

O ministério também aponta para a flexibilização de meios de pagamento para o serviço de transporte. "A gente vai ver caminhoneiro recebendo o frete dele pelo PIX", disse.

Freita ainda apontou para outras medidas em favor da categoria, como:

  • aumento da segurança nas estradas;
  • criação de postos de parada e descanso;
  • maior facilidade para contratação direta do serviço de transporte.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários