Brasil Econômico

Manifestante do ato desta quarta-feira (10), em Brasília, contra a reestruturação do Banco do Brasil
Ana Bering / Sindicato dos Bancários de Brasília
Manifestante do ato desta quarta-feira (10), em Brasília, contra a reestruturação do Banco do Brasil


Nesta quarta-feira (10), funcionários do Banco do Brasil protestaram por todo o país contra o programa de reestruturação da empresa, que prevê o fechamento de 112 agências e o desligamento de 5.000 pessoas. A paralisação é aprovada por 87% dos funcionários como registrado em assembleia virtual realizada na terça-feira pelo Ministério Público do Trabalho (MPT).

A manifestação ocorrida em Brasília (DF) acabou em violência. Cerca de 200 funcionários do BB protestavam pacificamente no edifício Sede 1, onde se concentram as operações remotas do banco. Por volta das 10h00, a PM de Brasília atacou os manifestantes com gás de pimenta e golpes de cassetete para dissipar o ato.

Você viu?

Apesar da paralisação de hoje, os bancários afirmam que querem retomar o diálogo . "Mostramos que estamos dispostos a negociar. Acreditamos na via negocial e queremos continuar as tratativas", disse o coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), João Fukunaga, em entrevista ao UOL.

Esse não é o primeiro ato contra reestruturação proposta pelo banco. Nos dias 15 e 21 de janeiro foram realizados atos nacionais contra as mudanças.  Em 29 de janeiro foi realizada uma paralisação de 24 horas.

Repressão com gás de pimenta no protesto de Brasília desta quarta-feira (10)
Ana Bering / Sindicato dos Bancários de Brasília
Repressão com gás de pimenta no protesto de Brasília desta quarta-feira (10)



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários