Rede de livrarias fechou 36 lojas entre janeiro e novembro de 2020
Divulgação
Rede de livrarias fechou 36 lojas entre janeiro e novembro de 2020

A Culturama , editora gaúcha responsável pela publicação de livros da Disney no Brasil, pediu, na justiça, a decretação de falência da rede de livrarias Saraiva . A editora alega que a livraria possui dívidas com a empresa e não consegue arca-las.

O processo foi publicado no Diário de Justiça de São Paulo na última sexta-feira (08) com o valor de R$ 224 mil. No pedido, a Culturama afirmou que tentou contato com a Saraiva várias vezes, mas que não houve retorno.

A rede de livrarias passa, desde 2018, por recuperação judicial após a queda nas vendas com a crise no setor de livros. Com a solicitação da editora, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pediu explicações à Saraiva, que afirmou ser possível pagar os débitos sem causar danos a empresa que possam provocar a falência.

O Portal iG tentou contato telefônico com a livraria, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

Planos de recuperação

Em abril de 2020, a Saraiva foi à Justiça pedir a alteração do plano de recuperação judicial. A intenção da empresa é criar três Unidades Produtivas Isoladas (UPI), sendo uma para cuidar das lojas físicas, outra para administrar o e-commerce e uma terceira para gerenciar os dois ramos. A livraria pretende vender uma das unidades para conseguir a verba necessária para manter a rede em funcionamento. O encontro com os credores para a aprovação do novo plano está marcada para o dia 26 de janeiro.

Enquanto não há a solução para o plano de recuperação, a Saraiva tem fechado lojas para economizar. Entre janeiro e novembro de 2020, metade das unidades da rede encerraram as atividades . Atualmente, a livraria possui 37 lojas espalhadas pelo país , enquanto, em 2020, possuía 73 unidades abertas. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários